Pet friendly: como receber bem os animais no meu restaurante

Os clientes que têm animais de estimação prezam os estabelecimentos que são pet friendly. Afinal, ninguém quer deixar seu melhor amigo em casa quando poderia levá-lo junto em um passeio, não é mesmo? Com isso, o número de restaurantes que aceitam a presença dos bichinhos é cada vez maior.

No entanto, apenas ser pet friendly não é mais um diferencial. Isso porque, como comentamos, muitos estabelecimentos já optam por essa estratégia. Portanto, a saída é se diferenciar e tratar os animais melhor do que os concorrentes, conquistando a preferência dos donos de pets e fidelizando os clientes.

Então, que tal conhecer algumas dicas de gestão para receber bem os animais de estimação no seu restaurante? Vamos lá!

Entenda a diferença entre aceitar e receber

Hoje em dia, o mercado pet é uma dos setores que mais crescem na economia do país. Isso acontece devido ao aumento do número de animais de estimação nos lares brasileiros e, consequentemente, à inserção desses novos integrantes na programação do dia a dia, lazer e viagens da família.

Diversos tipos de negócio se adequaram tendo em vista essa fatia de grande potencial no mercado — tais como shoppings, lojas, hotéis, pousadas, bares, restaurantes e até salões de beleza. Agora, são muitos os estabelecimentos que aderem à política “pet friendly”, ou seja, aceitam a entrada e permanência de animais de estimação.

E não pense que esse movimento crescente acontece só no Brasil. Pelo contrário, essa é uma tendência mundial, há tempos praticada em países como Alemanha, França, Estados Unidos, Inglaterra, entre outros. Contudo, há que se notar que existe uma grande diferença entre autorizar a presença dos pets e acolhê-los de maneira adequada.

Algumas instalações se autointitulam pet friendly simplesmente por notarem que a aceitação do animal de estimação tornou-se um fator decisivo para que os donos escolham quais locais frequentarão. Sem dúvidas, esta é uma estratégia poderosa de diferenciação no mercado, independentemente do setor.

Porém, é importante entender que não adianta receber clientes com pets sem ter um conhecimento básico sobre o perfil e as principais necessidades e expectativas desse público. É fundamental prestar um atendimento equilibrado e seguro para todos os que conviverão o seu espaço.

Alguns locais sequer compreendem bem quais são as principais raças e portes de cães e estabelecem regras incoerentes, como exigir que cliente fique com o pet no colo. Além de causarem mais transtornos do que benefícios, essas instalações não se esforçam para que o dono sinta que o seu bichinho é tão bem-vindo quanto ele.

No final das contas, as casas comerciais que agem dessa maneira não enxergam que, se o cliente está ali e não no concorrente, há grandes probabilidades de o animal ter sido o agente influenciador da decisão.

Para esclarecer a linha de pensamento, basta imaginar o seguinte cenário: quando uma família sai de férias, os pais se preocupam em saber se o hotel oferece opções de playgrounds, salão de jogos ou serviço de babysitter para as crianças. Com donos de pets, que fazem questão de levá-los a tiracolo, as coisas não são diferentes. Ganham o destaque e a preferência aqueles estabelecimentos que se dedicam a acomodar com qualidade todos os integrantes da família.

Adote práticas para ser pet friendly de verdade

Ofereça pote de água

Hoje em dia é muito comum ver locais que se preocupam com o bem-estar dos animais, oferecendo potes de água até mesmo para os bichinhos de rua. Se você disponibilizar potes coletivos, note que eles devem ser abastecidos com água potável e fresca. Também é importante que o nível de água seja conferido por um funcionário e que ela seja trocada com frequência.

Caso você opte por oferecer potes de água individuais, pode começar investindo em cinco unidades. Assim que o dono chegar com o pet, leve um dos potes à mesa em que eles se acomodaram. Essa atitude fará você ganhar vários pontos com os tutores logo de cara.

Tenha colchonetes

Este pode ser um grande diferencial do seu estabelecimento. O colchonete, além de deixar o animal mais confortável e quentinho nos dias frios, ainda serve para delimitar o espaço em que o bichinho pode ficar.

Agora, se você quiser conquistar o coração dos donos, crie um cantinho pet friendly com caminhas e brinquedos para os animais.

Crie um cardápio para pets

Contar com um cardápio especial para os pets também pode ser um grande atrativo. Entre as opções de comida natural e/ou ração, você pode oferecer petiscos. Eles representam um mimo para os clientes de quatro patas. Mesmo que o pet não coma o agrado, é sempre bom ser lembrado.

Instale mosquetões

Mosquetões são aqueles anéis metálicos que permitem a passagem das coleiras. Eles podem ser instalados nas paredes ou no chão, perto das mesas. Essa facilidade tranquiliza os tutores por garantir que os pets estarão seguros.

Disponibilize saquinhos

Às vezes os donos de animais de estimação podem esquecer o saquinho e, especialmente em bares e restaurantes, recolher o “número 2” é trivial. Nessa hora, um “cata-caca” é um ótimo apetrecho a ser disponibilizado ao seu cliente.

Conte com cobertura para chuva e sol

Especialmente na entrada e nos espaços ao ar livre, é essencial ter uma cobertura para os dias de sol forte ou chuva. Com essa facilidade, as condições climáticas não limitarão a ida dos clientes pets. As opções podem variar entre toldos, ombrelones ou coberturas fixas.

Confira as regras da Vigilância Sanitária

Por fim, ao investir para ser realmente pet friendly, é importante conhecer e seguir as normas estipuladas pela Vigilância Sanitária. Para isso, você pode consultar a própria Vigilância para entender em quais lugares os animais de estimação podem ficar.

Em geral, varandas e calçadas são permitidas tanto para restaurantes quanto para padarias, cafés e bares. De todo modo, é válido conferir a legislação da sua cidade. Em São Paulo, por exemplo, vale a Lei nº 10.309. Ela estipula:

É proibida a entrada ou permanência de animais em locais ou estabelecimentos onde se manipulem, beneficiem, preparem, vendam ou fabriquem produtos alimentícios.

Além disso, a Vigilância Sanitária determina que deve haver uma área específica para clientes com cachorros. Esse espaço precisa ser arejado e coberto, contendo um ponto de água que será utilizado apenas para limpezas e faxinas que não envolvam alimentos.

E então, gostou das dicas de como tornar seu restaurante verdadeiramente pet friendly? Mais do que permitir a presença de animais de estimação, é preciso implementar estratégias para que os bichinhos sejam bem recebidos. Já que eles vão passar um tempo no seu estabelecimento junto com os donos, nada mais justo do que tratá-los com a mesma atenção e dedicação, não é mesmo?

Se você gostou deste post, compartilhe nas redes sociais e mostre que seu restaurante está mais pet friendly do que nunca!

Como fazer o gerenciamento de estoque com eficiênciaPowered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Related Posts

Entenda de uma vez como funciona a NFC-e

Teste automatizado com o Test Complete

Guia completo de contabilidade para bares, restaurantes e lanchonetes

[E-BOOK] Guia completo de contabilidade para bares,...

Deixe uma resposta