NOVO! Confira o último episódio do podcast Contabilidade sem neura Ouvir agora
Dicas de Gestão

6 vantagens de implementar a gestão de ativos na sua empresa

4 Mins de leitura

Hoje em dia, as empresas não se pautam somente nos produtos e clientes em seu planejamento estratégico. Realizar a gestão de ativos tem ganhado cada vez mais força como uma prática capaz de agregar valor ao negócio. A prática ajuda a corporação a estar sempre de acordo com normas internacionais, sem contar que potencializa os ganhos do negócio — afinal de contas, os ativos são utilizados de forma plena.

Se você quer saber o que é um ativo e o que é uma gestão de ativos, é preciso ter em mente que cuidar da gestão de negócios é fundamental. Continue a leitura e entenda tudo sobre o assunto!

O que é gestão de ativos?

A gestão de ativos compreende todo o ciclo de um ativo, desde o momento em que se considera adquiri-lo até quando ele chega ao final de sua vida útil. Existem várias práticas eficientes de controlar tais ativos, a fim de conquistar uma performance melhor e atingir resultados sustentáveis e desejáveis. Elas normalmente exigem que haja um equilíbrio entre riscos, custos, desempenho e oportunidades.

A gestão de ativos físicos foi padronizada de forma global pela ISO 55000, uma norma divulgada em 2014. Ela explica seus maiores princípios:

  • a gestão de ativos faz com que o propósito estratégico seja transformado em decisões, tarefas e atividades financeiras e técnicas;
  • os ativos existem com o objetivo de fornecer valor às empresas e também às partes interessadas;
  • a gestão permite assegurar que os ativos cumpram e também desempenhem sua função;
  • a cultura e a liderança do local de trabalho são realmente determinantes para a percepção de valor.

Enfim, a gestão de ativos preza por tarefas cujos propósitos são voltados a atingir o maior valor possível com os bens do negócio. E isso vai totalmente a favor das expectativas que a empresa tem com a forma como eles vão retornar seus investimentos.

O que é ativo?

Todos os direitos e bens que formam o patrimônio de uma pessoa jurídica são considerados ativos. Logo, se sua corporação adquiriu um bem durável — seja um software, um móvel de escritório, uma máquina ou um prédio, a fim de gerar benefícios financeiros —, ele pode ser considerado um ativo “não circulante”.

Nessa categoria, também são incluídos investimentos financeiros, marcas, patentes e dívidas de terceiros no longo prazo, por exemplo. Existe também o grupo dos ativos circulantes, incluindo dinheiro em caixa, dívidas de clientes, depósitos bancários e matérias-primas.

Para deixar bem claro o conceito de cada um desses grupos, é possível relacionar a ideia de ativo não circulante aos bens que têm permanência duradoura, sendo, portanto, destinados a assegurar o funcionamento prático do negócio. Os circulantes, por sua vez, são aqueles bens que podem ser convertidos em dinheiro no curto prazo.

Quais são as reais vantagens de implementar essa estratégia no negócio?

Veja, a seguir, quais são as 6 principais vantagens de implementar a gestão de ativos na sua empresa!

1. Melhor aproveitamento de ativos

Ao conhecer melhor a estrutura do negócio, os gestores podem, por exemplo, melhorar o uso de softwares e hardwares, conquistando o máximo de desempenho e tendo um Retorno Sobre Investimento (ROI) extremamente positivo.

2. Aumento da produtividade

Se os seus colaboradores utilizam softwares, maquinários, mobília e demais itens inadequados e antigos, vão acabar produzindo menos e com uma péssima qualidade. Por esse motivo, a gestão de ativos está diretamente ligada à produtividade da equipe, oferecendo a ela ferramentas adequadas — e com o menor custo disponível.

3. Redução de custos operacionais

Como existe um controle do patrimônio, os custos do negócio tendem a cair. Isso porque a gestão de ativos oferece recursos de modo que a manutenção aumente sua eficiência, controlando o ciclo de vida útil dos bens e permitindo o corte de gastos desnecessários.

4. Monitoramento no ciclo de vida dos ativos

Como mencionamos, torna-se prático e rápido acompanhar o ciclo de vida dos ativos, pois o gestor vai poder analisar, de modo bem preciso, quais são aqueles que demandam atualização, reparo ou substituição. Assim, é possível verificar a necessidade de excluir determinada ferramenta, ou quem sabe otimizá-la, com soluções estratégicas.

5. Conduta legal correta

A gestão dos ativos possibilita que as deduções legais no Imposto de Renda do negócio estejam corretas, permitindo ainda que seja aplicada a tributação certa sobre o ganho de capital na alienação dos bens. Sem contar que você vai garantir informações alinhadas ao balanço patrimonial. Dessa forma, o empreendimento fica em dia com a Receita Federal e evita autuações sobre a omissão de receita.

6. Facilidade na tomada de decisão

Com a infraestrutura mapeada e inventariada, vai ficar bem mais fácil realizar um bom planejamento e ter uma tomada de decisão acertada. A gestão poderá, por exemplo, alocar os equipamentos de maneira eficiente, identificando todas as necessidades de atualização ou de substituição que causam gargalos — o que aumenta consideravelmente os custos de produção para o cliente.

Por fim, é importante destacar que o passo fundamental nessa trajetória de processos é fazer um inventário dos ativos da companhia. Então, identifique e registre todos eles, com uma descrição sobre seus maiores diferenciais e especificações. Outro ponto essencial é manter uma equipe com profissionais qualificados, fornecendo treinamentos e cursos que fomentem a especialização do time nessa área.

Saiba, ainda, que é crucial contar com uma solução tecnológica na gestão de ativos. Com um bom software, você automatiza as atividades, integra processos operacionais, acessa os dados em tempo real etc. Ao começar a realizar esse gerenciamento, entretanto, é preciso ter certeza de que as informações são confiáveis, uma vez que números defeituosos comprometem toda a operação, fazendo você voltar à estaca zero.

Nesse contexto, procure saber se a solução tem integração com sistemas legados. Elimine também os “ativos fantasmas” da sua lista (que não pertencem mais à organização, mas ainda constam nos inventários). Enfim, a gestão de ativos tem grande relevância para as empresas e, caso o gestor mantenha uma estratégia correta, os resultados passam a se elevar ainda mais.

Gostou de saber sobre as vantagens da gestão de ativos? Quer continuar aprendendo com nossos conteúdos? Curta a nossa página no Facebook e acompanhe as novidades por lá!

Soluções em cloud para acelerar a produtividade e eficiência da equipePowered by Rock Convert
193 Artigos

Sobre o autor
Diretor da Vertical de Gestão da Alterdata.
Artigos
Artigos relacionados
Dicas de Gestão

Como administrar um pequeno negócio começando do zero?

5 Mins de leitura
Que tal aprender como administrar um pequeno negócio começando do zero? Venha conosco e confira algumas dicas interessantes. Vamos lá?
Dicas de Gestão

Como funciona o MEI e seus benefícios no Brasil?

5 Mins de leitura
Você é um trabalhador autônomo e quer se formalizar? Então, descubra agora o que é e como funciona o MEI!
Dicas de Gestão

Descubra como abrir uma pequena empresa em 9 passos

5 Mins de leitura
Quer começar um novo negócio, mas está confuso sobre como começar? Confira agora como abrir uma pequena empresa em 9 passos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.