O impacto da gestão de clima organizacional na motivação de colaboradores

São muitos os fatores que interferem direta ou indiretamente no desempenho de uma empresa. E é exatamente por conhecer esse cenário que os negócios têm tomado cada vez mais consciência da importância da gestão de clima organizacional. Como a maioria das atividades de um empreendimento envolve a participação de colaboradores, é essencial investir na motivação para a conquista da excelência no dia a dia empresarial.

Ao avaliar o ambiente da organização de forma contínua e promover estímulos que reforcem atitudes positivas dos membros das equipes, o gestor cria condições para transformar o contexto interno em uma vantagem competitiva para a companhia! Quer saber como exatamente a gestão de clima organizacional pode impactar a motivação dos colaboradores e, ainda, aumentar a produtividade? Então acompanhe o post de hoje!

Influência do fator humano no desempenho

Seja em termos de redução de custos, de rapidez nos processos ou de aumento da qualidade, é fato: o desenvolvimento tecnológico dos últimos anos melhorou de forma significativa o desempenho das empresas. Ainda assim, ao avaliar uma organização como um todo, é simplesmente impossível deixar o fato humano de lado.

Da mesma forma que recursos financeiros, materiais e tecnológicos, as pessoas desempenham um papel pra lá de relevante no funcionamento de qualquer negócio e, claro, nos resultados obtidos. Porém, enquanto os demais recursos organizacionais são previsíveis e podem ser controlados com certa facilidade, os colaboradores possuem como característica marcante o livre-arbítrio. Por isso é tão comum que indivíduos em situações semelhantes respondam de formas completamente distintas.

Diante da complexidade natural do ser humano, cabe às empresas estudar o comportamento de seus colaboradores (tanto de maneira individual quanto grupal) para identificar padrões, resistências e expectativas. Tal iniciativa pode ser feita justamente com a gestão de clima organizacional. A ideia é melhorar o ambiente interno e aumentar o engajamento dos colaboradores na conquista dos objetivos estratégicos do negócio.

Gestão de clima organizacional eficiente

Enquanto a cultura organizacional está relacionada a hábitos, comportamentos e visões compartilhadas, o clima organizacional pode ser tratado como o ambiente da empresa percebido pelos colaboradores. Quem nunca ouviu comentários do tipo o clima aqui hoje está pesado ou o clima está leve essa semana?

Geralmente, a percepção dos colaboradores reflete as interações entre eles próprios e entre a organização e as equipes de trabalho. Como há um alto grau de subjetividade nessa avaliação do ambiente e como nem sempre as pessoas expõem abertamente o que pensam, as empresas precisam fazer periodicamente pesquisas para mensurar o clima organizacional.

Se pensarmos nos termos da análise SWOT, que identifica forças, fraquezas, oportunidades e ameaças nas empresas, o clima organizacional pode representar um ponto forte ou um ponto fraco. Para agir de forma proativa sobre essa percepção dos colaboradores, a empresa deve desenvolver mecanismos para sondar a opinião das pessoas. A partir dessa avaliação, é possível agir para reforçar comportamentos ou corrigir atitudes.

Nesse sentido, a gestão de clima organizacional engloba o estudo dos estímulos que geram ou não impacto nos colaboradores, bem como a identificação de causas de eventuais conflitos internos e ações de endomarketing para criar verdadeiros defensores da marca, por exemplo.

Impactos positivos e negativos na motivação

As organizações funcionam como sistemas abertos, que se relacionam com o ambiente externo por meio de inputs e outputs. Além disso, há inúmeras interações no próprio contexto interno do negócio, muitas das quais fazem parte da cultura informal da empresa e, por isso, não são conhecidas pela alta direção.

Uma liderança autocrática no nível gerencial, por exemplo, pode afetar a harmonia da equipe, gerar desavenças desnecessárias, fomentar boatos e até criar pressões sem que o CEO tenha qualquer conhecimento da questão. Nesse caso, o comportamento nocivo de um indivíduo pode funcionar como uma maçã podre em um saco de maçãs saudáveis. Como consequência, acabam surgindo impactos negativos em relação à motivação dos colaboradores.

Em outra situação, iniciativas simples do setor de gestão de pessoas (seja de treinamento, de recreação ou de reconhecimento profissional) podem estimular positivamente os colaboradores, fazendo com que rendam bem mais no serviço. Isso acontece porque, embora parte da motivação esteja no próprio indivíduo, fruto das razões que ele tem para estar ali, outra parte sofre sim forte influência do clima organizacional.

Por tudo isso e muito mais, em um ambiente em que há abertura para a troca de ideias, é comum existir um contexto bastante favorável para o surgimento de melhorias e inovações. Ao contrário, quando predominam repreensões e até perseguições, os colaboradores tendem a ser reativos, conflituosos e pouco colaborativos.

Relação entre ambiente interno e produtividade

Não é nada raro perceber, normalmente de uma forma disfarçada, ações de sabotagem interna nas empresas. Tais atitudes podem ocorrer tanto de maneira intencional quanto de modo inconsciente, como uma tentativa do profissional de punir a organização por algum tipo de injustiça.

Já parou para pensar, por exemplo, que muitos funcionários não dão 100% de si por acreditarem que eles mesmos não ganhariam muito com isso, mas só enriqueceriam o patrão? Em outros casos, brigas internas agem como forças desagregadoras para minar a força de uma equipe e, como consequência, afetar o desempenho total da empresa.

Seja em uma situação ou na outra, a gestão de clima organizacional deve ser capaz de identificar esses tipos de comportamento e agir de modo a não só corrigi-los, mas preferencialmente preveni-los. Nesse sentido, vale lembrar que não existe uma receita pronta, uma fórmula que funcione em qualquer ambiente. Afinal, cada grupo responde de maneira diferente a qualquer estímulo.

Ainda assim, para ser eficiente na construção de um clima organizacional saudável e produtivo, a empresa deve agir nos fatores que podem efetivamente ser controlados. Aí entram a infraestrutura do local de trabalho, o plano de cargos e salários, uma política de benefícios, além de programas de capacitação profissional e ações de sustentabilidade, por exemplo. Dessa forma, a organização cria condições para que o ambiente interno seja propício para a motivação dos colaboradores e, assim, para o aumento da produtividade.

Quer receber mais dicas para melhorar a gestão do seu negócio? Então siga a Alterdata nas redes sociais e acompanhe os próximos conteúdos! Estamos no Facebook, no Twitter, no YouTube e no LinkedIn!

 

Related Posts

5 razões para usar um aplicativo na administração do...

Guia para integração da informação e melhoria da...

SPED Fiscal: como atender vários clientes com essa...

Deixe uma resposta