Inteligência de dados no departamento pessoal: quais as vantagens?

Para uma organização ganhar velocidade, qualidade e desempenho, precisa ter um departamento pessoal atualizado, capaz de acompanhar as mudanças no ambiente corporativo e adequá-las a seus processos de RH. 

Com isso, conseguirá conciliar menor custo e maior precisão no recrutamento, bem como nos processos de treinamento & desenvolvimento, de análise de performance e de motivação, entre tantas outras variáveis cruciais ao sucesso empresarial.

Isso talvez explique por que atualmente é tão difícil encontrar uma companhia de ponta que não tenha uma área de gestão de pessoas provida de ferramentas de Business Intelligence (BI) para gerenciamento do capital humano.

Por falar nisso, e o seu RH, por acaso já trabalha com inteligência de dados? No post de hoje, você vai descobrir por que essa adaptação é urgente em sua dinâmica corporativa. Confira!

RH nas empresas: vá do burocrático departamento pessoal à estratégica gestão de talentos

As empresas mudam como reflexo das transformações internas da própria sociedade. Com o tempo, muda o perfil do consumidor, mudam as necessidades sociais e muda mas também o perfil de capital humano que a organização tem a seu dispor.

Esse fluxo evolutivo representa uma espécie de seleção natural corporativa que, como na teoria de Darwin, deixa potencial de sobrevivência apenas aos que têm maior capacidade adaptativa. E é no RH que está o epicentro dessa mutação empresarial.

Há até pouco tempo, a área de recursos humanos atuava de forma mecanicista, enxergando o funcionário como apenas mais uma peça em uma linha de montagem. Mas o mundo mudou. A necessidade de inovação colocou as pessoas no centro do sucesso organizacional.

Começou então uma busca desenfreada para encontrar mecanismos capazes de captar os melhores talentos, retendo-os por mais tempo, além de analisar a produtividade de uma forma mais precisa e em tempo real. Bem-vindo à era da inteligência de dados no departamento pessoal!

Tal tecnologia ajudou a mudar o papel desse setor nas empresas, dando a ele uma função muito mais estratégica que meramente operacional. Veremos abaixo algumas das principais vantagens de usar essa ferramenta nos processos de recursos humanos. Continue de olho!

Uso da inteligência de dados na gestão de pessoas: conheça as maiores vantagens

Precisão nos processos de recrutamento e seleção

Por incrível que pareça, em plena era dos negócios digitais, muitas empresas ainda encontram grandes dificuldades para localizar candidatos com as características que desejam.

Usando métodos de captação e seleção ultrapassados, essas organizações acabam contratando colaboradores desalinhados com as descrições dos cargos, o que resulta em altos custos de contratação e constante repetição desse processo em virtude dos índices elevados de turnover.

Tamanha imprecisão no recrutamento é solucionada com o uso de BI no departamento pessoal. Uma solução para gestão de pessoas pode ser alimentada com os requisitos do cargo, ponto de partida para a geração de um relatório completo de características comportamentais, profissionais e psicológicas desejadas para cada vaga.

A partir do conhecimento do perfil ideal para a empresa, são agregados ao sistema dados decorrentes de questionários online, entrevistas, testes de competências e até dinâmicas de grupo, gerando um quadro comparativo milimétrico sobre a adequação de determinado candidato à vaga pretendida.

Como dá para inferir, estamos falando aqui de muito mais rapidez, custos significativamente mais baixos e uma precisão infinitamente maior no processo de admissão.

Elaboração de treinamentos personalizados

O trabalho com análise de dados dá aos gestores a oportunidade de entender quais são os principais gaps de competência de cada funcionário, abrindo espaço para a criação de programas de treinamento personalizados.

Imagine se sua empresa conseguisse capacitar cada colaborador de forma individualizada, formando uma equipe homogênea, inovadora e de alta performance? Pois isso é sim possível. Basta usar as estratégias e ferramentas certas!

Conhecimento do material humano

Redes móveis, computação em nuvem e softwares baseados em Big Data: o desenvolvimento de tudo isso fez com que as informações trafegadas pelas organizações pudessem ser retidas e analisadas minuciosamente. O resultado? Um maior conhecimento do consumidor, mas também maiores possibilidades de mobilizar, engajar e usar plenamente o capital humano.

Atualmente, softwares de gestão de pessoas coletam dados dos colaboradores provenientes de diversas fontes, de avaliações de desempenho e histórico de metas a relatórios de saúde e análises psicossociais. Assim, é possível obter um mapa completo das competências e do potencial de cada um. Essa consciência humana facilita a elaboração de ações que motivem a equipe, reduzindo o absenteísmo e a rotatividade.

Erros nas rotinas diárias do departamento pessoal

Sozinha, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) tem incríveis 922 artigos. Só a CLT! Agora pense que quem trabalha no departamento pessoal ainda tem que lidar com outras dezenas de legislações que impactam diretamente no fluxo de trabalho da gestão de pessoas. Complicado, não é mesmo?

Como se não bastasse ter a obrigação de estar sempre alinhado com montanhas de comandos legais, o comportamento funcional dos funcionários também varia muito a cada mês. São faltas, atrasos, saídas antecipadas, recebimento de comissões e por aí vai. Tudo isso pode transformar a simples tarefa de rodar a folha em um verdadeiro drama! Isso, é claro, para quem não trabalha com softwares de gestão de pessoas.

Uma solução em BI para RH concentra em um mesmo ambiente processos comuns ao DP. Descontos por ausências, cálculos de impostos, emissão e envio de recibos: tudo é centralizado e feito de forma automática. O resultado desse investimento é visto em forma de redução no volume de erros e, por consequência, de retrabalhos no setor.

Trazer a inteligência de dados para a gestão de pessoas ajuda também no cumprimento de obrigações trabalhistas, como na importação de informações e na análise eletrônica de potenciais inconsistências na remessa do eSocial — minimizando o risco de multas por parte do Fisco.

Relação entre trabalho manual e produtividade

Relatórios personalizados, análise de valores, cálculo automático de descontos, bancos de horas e valores devidos de jornada extraordinária: ter tudo isso na palma da mão significa menos trabalho braçal dos funcionários e, assim, aumento da produtividade no departamento pessoal.

Além disso, o trabalho com BI na gestão de pessoas ainda permite agrupar informações, usar filtros diversos e cruzar dados cadastrais, ainda que o acesso seja feito por meio de um smartphone. Traduzindo: estamos falando de estão de RH a partir de qualquer local com acesso à internet. É a era da mobilidade!

Eficácia na análise de desempenho

Até então focada somente no controle de frequência e na impressão de contracheques, a área passou a ser fundamental para lapidar competências, treinar e motivar os colaboradores, entendendo como conciliar as forças intelectuais da empresa em direção ao aumento na produção — qualitativa e quantitativamente.

Trata-se do novo papel do RH, cujo processo de avaliação de desempenho é um dos mais importantes e que necessita do uso de BI para garantir precisão e consciência das performances individuais.

O uso de inteligência de dados possibilita que se faça uma verdadeira análise em 360° de cada colaborador, visto que os sistemas de BI coletam feedbacks de múltiplas fontes, tais como questionário dos gestores, informações de colegas de trabalho, notas aplicadas pelos consumidores e até dados de SAC ou sites de reclamação.

Na prática, por mais numerosa e capacitada que seja sua equipe de avaliação, é impossível comparar a precisão de um cruzamento de dados feito a olho nu com os complexos relatórios obtidos pelo processamento eletrônico de informações, não concorda?

Com esse recurso, o gestor consegue confrontar a produtividade individual com a de toda a equipe, bem como quantificar performances e encontrar padrões de atuação ideais para a corporação.

Essa avaliação de excelência também garante resultados mais justos, servindo como base para a elaboração de estratégias de promoções, reestruturações e treinamentos. E vale lembrar que uma análise de desempenho correta é também uma ferramenta de motivação!

Quer saber mais sobre o uso de estratégia de dados não somente no departamento pessoal como em outros braços da empresa? Então aproveite para descobrir quais são os 6 segredos para o sucesso de escritórios contábeis!

Related Posts

Previsão orçamentária: qual a sua importância e o...

Alterada resolução que dispõe sobre os prazos para...

Síndico profissional: habilidades e ferramentas...

Deixe uma resposta