AlterdataDicas AlterdataTecnologia

Validação GTIN: aprenda como fazer em 4 passos

5 Mins de leitura

A validação GTIN é uma das mudanças que foram feitas para otimizar o processo de comunicação entre o contribuinte e o Fisco. Trata-se de um aperfeiçoamento nas regras de apuração de tributos.

Algumas dessas mudanças interferem na composição da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). Os escritórios contábeis devem ficar atentos na validação da nota fiscal eletrônica por meio do processo de verificação do número global do código de barras.

Fique por dentro dessas mudanças e saiba o que é GTIN na nota fiscal. Veja ainda a importância da validação GTIN para as empresas!

O que é GTIN na nota fiscal?

GTIN é a sigla para Global Trade Item Number. Trata-se do número de identificação global de um item comercial. Cada produto tem o seu, que é formado por uma estrutura numérica da qual gera-se o código de barras.

No caso de GTIN da Nota Fiscal Eletrônica, esse número de identificação é do produto que aparece nos campos da NF-e, precisamente em cEAN e cEANTrib.

Esses campos informam o número referente ao código de barras do produto.

A partir dessa sequência numérica, você pode identificar dados como o país de origem, a empresa detentora do código de barras, o produto relativo à nota fiscal e o seu dígito de controle.

Quando o escritório contábil atende empresas que trabalham com a venda de produtos, elas já preenchem informações nos campos cEAN e cEANTrib. Somente assim conseguem emitir a NF-e.

O código GTIN faz parte do dia a dia dessas empresas, pois o número identifica ainda, dentre outras, as seguintes características do produto:

  • Tipo;
  • Modelo;
  • Cor;
  • Sabor;
  • Peso;
  • Tamanho.

Qual é a importância da validação GTIN para as empresas?

Como o código de barras dos produtos traz diversas informações, o código GTIN da Nota Fiscal Eletrônica interessa a empresas que fabricam, distribuem e vendem produtos. Se os seus clientes são desses ramos, atente-se!

As Secretarias de Fazenda dos estados já fazem o processo de validação das notas fiscais eletrônicas, que passa a considerar os campos cEAN e cEANTrib. Lembre-se: eles trazem o código GTIN.

Antes do aperfeiçoamento nas regras de apuração de tributos, o preenchimento desses campos já era obrigatório. Só que agora eles precisam ser validados, o que não ocorria.

No dia a dia, quando o produto não for cadastrado ou suas informações não estiverem em conformidade com o banco de dados, a Nota Fiscal Eletrônica será rejeitada.

Em algumas situações, o seu cliente será informado que a nota fiscal foi rejeitada, então é importante saber como proceder.

A NF-e não tem validade jurídica, então uma nova precisa ser submetida, mas deve ser corrigida. Nessa correção, você pode utilizar a mesma numeração da nota ou uma nova.

Antigamente, por mais que a nota fiscal eletrônica estivesse com dados incorretos, ela não era rejeitada. Mas isso mudou e é nesse aspecto que é importante orientá-lo, pois agora os dados passam por validação.

Essa validação, além da NF-e, também é aplicada nas empresas que faturam produtos na chamada nota fiscal eletrônica para consumidor final, ou NFC-e, que é própria do varejo e substitui o cupom fiscal. Quais os benefícios do GTIN na NF-e?

Listamos os principais benefícios do código GTIN na Nota Fiscal Eletrônica. Confira:

Validação GTIN

Unifica as informações

Como o código GTIN traz as principais informações sobre o produto, ele é utilizado de forma eficiente para validar, acessar e receber dados confiáveis. Isso garante mais segurança e reduz erros.

A partir do código GTIN, deixa de ser necessária a consulta de dados dos produtos no site de cada fornecedor. Basta ter o código para saber detalhes das mercadorias.

Facilita as pesquisas

Outra vantagem do código GTIN é a facilidade que ele leva para o dia a dia de empresas que atuam no comércio eletrônico.

Essas empresas obtiveram maior precisão nas informações de cada produto vendido. Além disso, conseguem encontrá-los rapidamente em sites de pesquisa e marketplaces por meio do código GTIN.

O Google Shopping, por exemplo, tornou obrigatório o código GTIN para o cadastro de novos produtos. Isso ocorre desde maio de 2016. Outro exemplo é a Amazon, que solicita a identificação para controlar sua base de produtos.

Note que o registro adequado dos produtos torna mais fácil a identificação deles até pelo consumidor, que pode buscar o código GTIN e encontrá-los.

Melhora o ranqueamento nos buscadores

Sim, esse tipo de informação ainda melhora o ranqueamento das vendas de um produto na internet.

Como o GTIN é um código global, acaba sendo utilizado pelos mecanismos de busca para direcionar os produtos certos para os compradores ideais.

Dessa forma, torna-se mais fácil o consumidor se “deparar” com o produto que deseja enquanto lê uma notícia ou navega em suas redes sociais.

A diferença é que, a partir do código GTIN, há uma garantia de que ele corresponde exatamente ao que o consumidor busca.

Gera mais conversões

Uma vez que o código GTIN aumenta as visualizações de um anúncio, isso potencializa as chances de conversão. Por mais que o usuário não finalize a compra, ele se aproxima da marca que está comercializando.

Reduz erros

Como o código GTIN opera automaticamente a partir de um código de barras, ele dispensa a necessidade de digitação. Basta utilizar um leitor para tê-lo. Isso diminui possíveis erros causados por digitação.

Otimiza a rastreabilidade de mercadorias

O código GTIN ainda diminui erros no estoque, como o mau controle e identificação de mercadorias. Ele oferece uma visão mais ampla das mercadorias e de seus estoques, impedindo que produtos fiquem por muito tempo parados, sem destino à venda.

A partir das características dos produtos que estão parados, a equipe comercial tem como diminuir a demanda por esses itens. Trata-se de um ganho estratégico, capaz de gerar resultados expressivos nas vendas.

Aprenda a fazer a validação GTIN em 4 passos

É muito simples fazer a validação GTIN, desde que você utilize o software certo. Nesse caso, a sugestão é o Alterdata Contábil. Veja o passo a passo:

Aprenda a fazer a validação GTIN em 4 passos

Passo 1

No Shop, acesse a aba Produtos e Serviços → Cadastro de Produtos.

Passo 2

Em seguida, localize o item e clique em Editar.

Passo 3

Selecione o Código EAN13 e clique para Editar.

Passo 4

Informe um EAN13 válido.

Verifique os EANs válidos aqui e grave.

A partir da validação GTIN, você garante ao seu cliente vantagens como automação no recebimento, melhoria no controle de estoque, fácil conferência do pedido enviado com a NF-e recebida, obtenção de código único para controle de produto e alta rastreabilidade.

Conheça Alterdata Contábil e tenha um novo olhar para o futuro contábil do seu negócio ou dos seus clientes!

Soluções em cloud para acelerar a produtividade e eficiência da equipe
339 Artigos

Sobre o autor
Diretor da Vertical de Gestão da Alterdata.
Artigos
Artigos relacionados
AlterdataeSocial

Gerente eSocial: saiba mais sobre as soluções da Alterdata!

3 Mins de leitura
Entenda melhor o que é o Gerente eSocial e qual a sua importância na hora de enviar os dados do eSocial dos seus funcionários.
AlterdataGestãoVarejo

Módulo financeiro: saiba o que é fundamental em um ERP para MEI!

4 Mins de leitura
Saiba o que faz o módulo financeiro de um ERP mara microempreendedores individuais.
AlterdataGestão

Conheça o ERP for ME, sistema PDV para emissão fiscal

4 Mins de leitura
A utilização de um sistema PDV ajuda a otimizar todo o processo de fechamento de vendas, trazendo maior agilidade e eficiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.