Supere os principais desafios de fluxo de caixa para restaurantes

Administrar um restaurante definitivamente não é tarefa fácil. E tudo fica ainda mais desafiador quando a gestão do fluxo de caixa não está totalmente alinhada. Por esse motivo, é fundamental implementar um controle rígido das movimentações financeiras a fim de garantir a devida manutenção e o crescimento saudável do negócio.

Agora imagine se você tivesse acesso a dicas sobre como superar as principais dificuldades enfrentadas pelos donos de restaurante. Nada mal, não é mesmo? Pois foi pensando nisso que criamos este post!

Com a leitura deste conteúdo, você compreenderá quais são os maiores desafios relacionados ao fluxo de caixa para restaurantes e o que fazer em cada caso para contornar possíveis problemas. Confira agora mesmo e trate de colocar tudo em prática o quanto antes!

O que é o fluxo de caixa?

Podemos definir o fluxo de caixa como o conjunto de movimentações financeiras da empresa, incluindo todas as entradas e saídas de dinheiro. E é claro: manter o fluxo de caixa no positivo é o objetivo inicial de todo dono de restaurante. De outra forma, torna-se impossível manter as portas abertas.

Sejam despesas, como salários e contas de consumo, ou investimentos, como compras de produtos e campanhas de marketing, todas as ações financeiras são gerenciadas por esse fluxo.

Com esse controle, o gestor consegue identificar, por exemplo, quando é hora de criar uma promoção, como quando o caixa está próximo do vermelho. Antes que a situação se agrave, portanto, é possível tomar atitudes corretivas.

Por que é tão importante para um restaurante?

Identificação do ponto de equilíbrio

Todo restaurante tem um conjunto de despesas fixas, contas que surgem todos os meses, bem como de despesas variáveis, como compras de ingredientes.

Ao conhecer detalhadamente seus gastos, a gestão consegue descobrir quanto deve faturar a cada mês e, consequentemente, a cada dia, para manter o negócio funcionando. É o famoso ponto de equilíbrio, em que as entradas de recursos se igualam às despesas, empatando as contas.

Prevenção contra falência

Imagine que seu restaurante vende mais do que gasta todos os dias, gerando lucro. O detalhe é que muitas dessas vendas são feitas a prazo, por meio de pagamento com cartão de crédito. Isso significa que nem todo dinheiro entra imediatamente no caixa da empresa. Por outro lado, você tem contas com fornecedores que são pagas à vista, gerando despesas imediatas.

Diante desse cenário, sem um controle de fluxo de caixa rigoroso, seu restaurante pode sim ir à falência, mesmo vendendo mais do que gasta. Afinal de contas, o lucro não necessariamente está sendo convertido em caixa no curto prazo.

Detecção de oportunidades

Ao controlar as entradas e saídas de dinheiro do negócio, você consegue identificar oportunidades para cortar gastos excessivos, melhorando a saúde financeira do restaurante. Além disso, abre-se espaço para acompanhar a quantia de capital disponível para melhorias, investimentos e divulgação.

Quais são e como superar os principais desafios de fluxo de caixa para restaurantes?

Monitoramento insuficiente de entradas e saídas

Restaurantes são negócios que costumam ter uma série de vendas todos os dias, com cada cliente gastando um valor diferente. Da mesma maneira, há sempre algum produto ou ingrediente para comprar, gerando saída de dinheiro do caixa.

Por isso, quando o assunto é entrada e saída de recursos, o monitoramento deve acontecer diariamente. Entenda: não adianta deixar para fazer o fluxo de caixa uma vez por semana ou a cada 2 ou 3 dias, porque isso é insuficiente no contexto desse ramo de negócio.

Lembre-se de registrar absolutamente todas as movimentações financeiras, sinalizando com clareza as entradas e saídas. Uma forma de fazer isso é usando cores diferenciadas — como verde para entradas e vermelho para saídas.

Ausência de reserva de emergência

Restaurantes podem ter despesas inesperadas e altas. Quando um equipamento da cozinha quebra, por exemplo, o conserto ou a reposição pode custar centenas ou até milhares de reais. Além do mais, esse tipo de negócio também sofre com a sazonalidade, havendo épocas de mais clientela e outras em que o movimento cai.

Ao refletir sobre essas situações, fica claro por que todo restaurante precisa construir uma reserva de emergência, já que ela serve justamente para enfrentar situações não previstas. Evita-se, assim, usar o dinheiro do caixa para pagar contas que não são do dia a dia do negócio.

Se você ainda não tem esse pé-de-meia empresarial, comece agora mesmo a separar um valor todos os meses para criar seu fundo de emergência. Uma reserva equivalente a 3 meses de orçamento, por exemplo, pode fazer com que você tenha muito mais tranquilidade para trabalhar no dia a dia.

Uso pessoal do capital

A maioria dos empresários sabe que não deve misturar o dinheiro do negócio com suas contas pessoais. Mas acredite: ainda existem gestores que cometem esse erro, sem perceber o quanto essa prática é prejudicial tanto para o restaurante como para a vida familiar!

Quando você usa verbas empresariais para fins pessoais, acaba gerando desorganização nos processos e no fluxo de caixa do restaurante. A partir disso, cria-se um círculo vicioso que torna extremamente difícil compreender quais gastos são efetivamente da empresa. Como consequência, por um simples descuido, seu negócio pode ser levado à falência.

Para não correr esse risco, não tem mistério: basta manter o capital da empresa totalmente separado do seu dinheiro de pessoa física. O primeiro passo nesse rumo é usar contas bancárias separadas. Depois, estabeleça um pró-labore (salário) para si e só retire esse valor uma vez por mês, mantendo o fluxo de caixa ordenado.

Inexistência de análise e planejamento

Um dos erros mais básicos que os donos de restaurantes cometem é fazer uma gestão financeira retroativa. Na prática, isso significa administrar o dinheiro apenas quando as contas já ocorreram, registrando as entradas e saídas que acabaram de acontecer. Uma gestão inteligente das finanças é aquela que analisa o passado e o presente para planejar o futuro.

É provável que você já saiba quais são os principais gastos do seu negócio, não é mesmo? Eles provavelmente incluem pagamentos a fornecedores e funcionários, além de contas de luz, água e aluguel. Então por que não prever qual será o montante de gastos nos próximos meses? Ao fazer isso, você saberá quanto precisa faturar em cada período.

Registre no seu controle todos os valores que o restaurante receberá e pagará no mês. Mas atenção: faça tudo de forma organizada, para que valores que ainda não saíram não sejam descontados e para que valores que ainda não entraram não sejam contabilizados.

Má organização dos processos

Um processo é um conjunto de tarefas ou atividades realizadas com um determinado objetivo. Portanto, praticamente tudo o que acontece em uma empresa faz parte de um processo, incluindo o fluxo de caixa!

Muitos gestores escolhem cumprir as tarefas apenas por intuição, tentando observar o que precisa ser feito e executando atividades sem nenhuma organização ou planejamento. Mas isso é extremamente nocivo para o negócio! Dessa forma, os processos tomam muito mais tempo, perdem em qualidade e dão margem a equívocos.

Pensando nisso, organize um fluxograma de atividades e divida corretamente as tarefas entre os membros da equipe. Dessa maneira, você manterá as informações financeiras sempre alinhadas, além de melhorar a produtividade e a qualidade do atendimento aos clientes.

Como você viu aqui, fazer um controle rígido do fluxo de caixa é fundamental para a gestão eficiente do seu restaurante. O acompanhamento adequado de entradas e saídas ajuda a ter previsibilidade e a lidar com adversidades que podem afetar o negócio. Então o que ainda está esperando para colocar a mão na massa?

Gostou do nosso post sobre fluxo de caixa para restaurantes? Cadastre seu e-mail em nossa newsletter para receber outros conteúdos relevantes em primeira mão!

Related Posts

Inteligência de dados no departamento pessoal: quais...

Previsão orçamentária: qual a sua importância e o...

Alterada resolução que dispõe sobre os prazos para...

Deixe uma resposta