Lean startup: entenda o que é e quais são seus benefícios

Dia após dia, as empresas buscam maneiras de reduzir seus custos de operação para crescer de forma sustentável e consistente. E no seu negócio provavelmente não é diferente, certo? Afinal, todo empresário tem que estar sempre atrás de novas soluções! Nesse cenário, o conceito de lean startup ou lean business tem se destacado cada vez mais. Você já ouviu falar?

Colocando a teoria em prática, são diversos os benefícios trazidos para as organizações, desde redução de riscos a aumento da rentabilidade. Fique conosco para compreender em detalhes do que se trata e o que sua empresa pode ganhar com isso!

O que é lean startup ou lean business?

Basicamente, lean startup é um modelo de negócio que se concentra nos principais pontos da operação da empresa, trabalhando com o mínimo de recursos possível. O objetivo é tornar as ações mais ágeis, reduzir custos, aumentar a rentabilidade, simplificar as atividades e viabilizar um crescimento sustentável.

Atualmente, esse modelo está mais difundido que nunca, já sendo usado por nomes gigantes do mercado — como o Facebook e a Amazon. Mas, na verdade, a ideia não é de hoje! A proposta foi criada nas fábricas do Japão, por volta de 1950.

Naquela época, os japoneses decidiram criar linhas de produção mais enxutas. Em vez de gastarem tempo e dinheiro com planejamentos extensos e inúmeras pesquisas de mercado, eles preferiram agir rápido, colhendo feedback o quanto antes para aprimorar seus produtos e processos. Optaram por reduzir desperdícios, cortando todas as etapas que não eram essenciais ao negócio.

Ao longo dos anos, o modelo de negócio se espalhou. Mais tarde, acabou eternizado pelo livro The lean startup (A startup enxuta, na versão em português), do empreendedor americano Eric Ries, que adotava a metodologia em suas empresas.

Como o conceito funciona na prática?

A base desse modelo consiste em investir poucos recursos para testar uma ideia a fim de descobrir, a partir daí, se vale ou não a pena apostar mais pesado nela. A validação de ideias de forma ágil e barata: esse é o fundamento.

Mas se engana quem pensa que essa estratégia só serve para testar novos produtos! Na verdade, ela pode ser aplicada em absolutamente qualquer setor da empresa. É possível testar desde novos fluxos de operação até novos processos seletivos, sempre combatendo desperdícios e eliminando etapas desnecessárias.

O que é MVP e como encontrar o seu?

Para possibilitar a validação de ideias, usa-se o Minimum Viable Product (MVP) ou produto mínimo viável. Pense só: é bastante comum que empreendedores enfrentem dificuldades para determinar se um serviço ou produto será aceito pelos consumidores, correto? Diante disso, muitas organizações acabam investindo demais para simplesmente testar uma ideia. Pois o MVP chega para combater esse problema.

Estamos falando de uma versão teste de qualquer solução, desenvolvida de forma ágil e econômica para ser apresentada rapidamente ao público. A partir daí, a empresa colhe feedbacks para aprimorar a ideia ou, caso se mostre necessário, partir para novas possibilidades.

Criando seu próprio MVP

Uma boa maneira de colocar o MVP em prática é pensar em cada uma das letras que representam a sigla. Veja!

Mínimo

A versão inicial do produto deve ser aquela possível de entregar em pouco tempo e com um tamanho reduzido. Mas não é só isso! Também é importante ter uma hipótese de mercado clara antes de dar início à criação do protótipo — uma métrica ou um objetivo específico a ser validado.

Produto

É fundamental que a solução entregue seja realmente útil para o público que a empresa quer atingir. Só assim será possível validar a hipótese. O ponto de partida para pensar no produto é, assim, a persona. Com as características do cliente ideal bem definidas, fica muito mais fácil desenvolver um produto ou serviço de sucesso.

Viável

Também é importante lembrar que, na fase do MVP, o produto está em versão beta. Entenda desde já: mais importante que ter um produto perfeito é ter um produto viável, que a empresa seja capaz de produzir, vender e entregar no menor tempo possível. Com isso, o produto pode ser oferecido por um preço mais acessível, desde que o valor seja suficiente para gerar receita e viabilizar o negócio.

Por fim, não se esqueça: por mais que o conceito de MVP tenha sido criado pensando em produtos, essa metodologia pode ser usada para qualquer solução da empresa — tanto em inovações externas (produtos, serviços e parcerias) como internas (linha de produção, rotina e processos).

Quais são os principais benefícios desse modelo?

Confira a partir de agora algumas das principais vantagens trazidas pelo modelo de lean startup às empresas!

Crescimento sustentável

Ao usar o conceito de lean startup, nenhuma empresa precisa enforcar seu financeiro para crescer ou desenvolver novas soluções a fim de alavancar o negócio. Em vez disso, são dados pequenos passos em direção à satisfação do público-alvo. Dessa maneira, a corporação consegue crescer com consistência, fazendo correções de acordo com os feedbacks recebidos.

Além de beneficiar especificamente o financeiro, esse processo evita uma série de problemas operacionais que costumam acontecer quando as empresas crescem de forma inchada e desordenada. Melhor se precaver, não acha?

Custo operacional baixo

A redução de custos sempre surge entre os principais benefícios percebidos com o uso da metodologia lean. O baixo custo operacional se torna possível a partir de um dos fundamentos dos negócios enxutos: a eliminação de etapas e de resíduos desnecessários. O objetivo é chegar mais próximo do desperdício zero. Com isso, os custos naturalmente são reduzidos e as margens de lucro aumentam.

Crescimento recorrente

O segredo para uma empresa crescer com recorrência está em aprimorar constantemente seus produtos e processos. E é justamente isso que o modelo de lean business propõe! Nessa proposta ágil de trabalho, nada é estático. Tudo está constantemente em desenvolvimento. A coleta de feedbacks é frequente, assim como a geração de ideias, a sugestão de melhorias e a criação de novos protótipos.

Como resultado de toda essa movimentação, os clientes ficam mais satisfeitos e a empresa reduz desperdícios, conseguindo levantar tanto as informações como os recursos necessários para crescer de forma recorrente.

Produtividade máxima

Ao descartar etapas desnecessárias nos processos da empresa, o modelo de lean startup também traz um aumento de produtividade. Diversas reuniões de planejamento, por exemplo, podem ser substituídas por processos práticos, que trarão respostas muito mais ágeis e diretas, poupando tempo e recursos.

Menor custo de aquisição de clientes

O custo de aquisição de clientes é um dos fatores que mais impactam nos resultados de uma empresa. Afinal, quanto mais o negócio gasta (em dinheiro, tempo e outros recursos) para atrair clientes, menor é sua margem de lucro. Ao acelerar as respostas do mercado, o modelo de lean startup reduz esse custo, melhorando o financeiro da instituição.

Redução de gargalos

Não tem como fugir: toda empresa possui gargalos que, em alguns momentos, impedem sua expansão. Ao propor a diminuição do número de etapas na produção, o lean business ajuda a reduzir esses obstáculos, diminuindo também a burocracia interna relativa aos processos.

E então, pronto para implementar essa metodologia no seu negócio? É claro que, por si só, o método não garante sucesso. No entanto, o hábito de testar, colher feedbacks e aprimorar constantemente os produtos e processos só pode trazer resultados positivos! A partir daí, fica cada vez mais fácil crescer e fidelizar consumidores.

Por fim, deixe seu comentário contando se ainda ficou com alguma dúvida! Participe!

Related Posts

Por que automatizar sua escrituração fiscal?

Alterdata Software investe em startups de funcionários

Monitoramento de áreas comuns: como fazer em...

Deixe uma resposta