NOVO! Confira o último episódio do podcast Contabilidade sem neura Ouvir agora
Varejo

Gestão de oficina mecânica: 6 erros básicos para não cometer

5 Mins de leitura

Para que qualquer tipo de negócio funcione com segurança e tenha potencial de crescimento é preciso que sua gestão esteja atenta a alguns fatores essenciais. Entre eles estão o controle financeiro e a organização das atividades de rotina. Não é diferente quando se trata de gestão de oficina mecânica.

Você sabia que boa parte dos problemas nesse segmento são fruto de erros relativamente comuns? Por isso, vale a pena saber mais sobre eles e como é possível agir para evitar que façam parte do seu dia a dia.

Confira as dicas na sequência e conheça os principais equívocos presentes no mercado.

1. Não otimizar o fluxo de caixa da sua empresa

Existem diferentes formas de fazer com que a relação entre suas receitas e despesas esteja sempre de acordo com o ideal. Todas elas precisam contar com uma boa gestão de fluxo de caixa.

O fluxo de caixa dá ao gestor um relatório financeiro exato para que ele possa não só se informar sobre os saldos disponíveis no caixa como também a respeito de dados sobre pagamentos e recebimentos, entre outros. A realidade é que o fluxo de caixa otimizado permite que você tenha recursos para avaliar seus resultados financeiros de imediato e também condições para tomar medidas futuras, sempre de acordo com a realidade da sua empresa.

Em resumo, bons gestores dos mais diferentes segmentos precisam contar com informações precisas sobre o que acontece na sua empresa para tomarem decisões com maior grau de segurança. É por isso que eventuais falhas na otimização do fluxo de caixa representam erros graves, uma vez que elas impedem a gestão de oficina mecânica de agir com base nos resultados reais e não em estimativas.

2. Não calcular a margem de lucro adequadamente

Sua gestão de oficina mecânica precisa ter critérios racionais como base. Entre os mais importantes está a definição da margem de lucro sobre os produtos e serviços que ela oferece. Isso não acontece por acaso: a margem de lucro serve para que você calcule a porcentagem de lucratividade no mês, de maneira que tenha como saber se o projeto como um todo tem sido rentável e sua administração está sendo eficiente.

O processo é relativamente simples, bastando dividir o lucro pela receita total e multiplicar o resultado por 100. O valor final será a lucratividade da empresa. Entretanto, muitos empresários deixam esse cálculo de lado ou cometem outros equívocos no controle financeiro da sua gestão de oficina mecânica. Entre eles estão:

  • não avaliar se os custos com cada compra estão de acordo com os resultados esperados;
  • ignorar que faturamento e lucro são elementos diferentes;
  • não acompanhar a evolução da margem de lucro ao longo dos meses.

Falhas dessa natureza podem ser cruciais para que a gestão se torne menos eficaz e seja negativamente surpreendida do ponto de vista financeiro.

3. Não definir um posicionamento realista de mercado

Para que qualquer negócio funcione é preciso que ele esteja de acordo com a demanda do público consumidor. Afinal, de nada adianta se esforçar para entregar um produto ou serviço qualificado se não existem pessoas interessadas na oferta em questão.

O grande desafio é construir um projeto que funcione como um elo entre o que o público consumidor quer e o que ele de fato precisa. E fazer isso não é tarefa fácil, sendo necessário estudar as características e interesses desse público, além de se esforçar para compreender como funciona e o que oferece a concorrência. É em função desse entendimento de como você deve se posicionar que passa a ser possível entregar uma solução diferenciada.

Em resumo, existe uma equação que precisa ser resolvida para gerar o melhor posicionamento. As oficinas podem ser mais generalistas ou especializadas em determinada atividade, dependendo do resultado desse estudo. Também é importante que a definição de nicho de atuação seja feita com critérios, pois o ideal é que a sua oficina preencha uma lacuna no mercado.

É fácil perceber como grande parte das oficinas mecânicas não se posiciona adequadamente. Algumas delas sequer dão sinais de que se dedicam a um determinado tipo de mercado e, por conta disso, apresentam maiores possibilidades de insucesso comercial. O fato é que não buscar um posicionamento realmente realista na gestão de oficina mecânica é um erro que pode tornar seus resultados insuficientes ainda que a qualidade do seu trabalho seja boa.

4. Não planejar os processos internos

Tudo na vida depende de planejamento. É preciso que seus processos internos estejam devidamente organizados para que as atividades envolvendo os mais diversos setores se deem de maneira eficaz. Considerando o dia a dia da gestão de oficina mecânica, precisamos ter em mente ações como:

  • a forma como serão emitidas as ordens de serviço;

  • de que maneira o estoque de peças será organizado;

  • a padronização do agendamento de clientes;

  • se e como a tecnologia será inserida na rotina da empresa.

A ideia é que, antes de executar, tudo esteja devidamente roteirizado. Do contrário, sua oficina corre o risco de criar e insistir em processos inadequados.

Uma gestão de oficina mecânica que não se planeja é um empreendimento fadado ao fracasso, uma vez que o mercado é dotado de sutilezas que, ao não serem devidamente identificadas, podem gerar crises em sequência, dificultando significativamente as ações do empreendedor.

5. Ignorar o marketing na gestão de oficina mecânica

Outro erro muito comum é não pensar na promoção da imagem da oficina. Isso diz respeito a ações como a captação de novos clientes, a criação de programas de fidelidade, entre outros.

Em relação a esse tema vale a pena pensar tanto na prospecção de novos clientes quanto na retenção dos atuais. É sabido que a maioria das oficinas passa muito mais tempo tentando encontrar novas oportunidades, mas o fato é que custa muito mais dinheiro conseguir novos consumidores para o seu negócio do que agir para manter aqueles que já compram de você.

Por isso, concentre-se em ações de marketing que possam fazer a sua oficina alcançar novas pessoas, mas também crie formas de fidelizar quem já te conhece.

De qualquer maneira, deixar o marketing de lado é errar em um investimento que tende a ser fundamental para o futuro do seu empreendimento.

6. Não contar com métodos para tomar decisões

Para que uma gestão de oficina mecânica seja qualificada, o responsável por ela pode contar com ferramentas para ajudá-lo a fazer o melhor uso das informações que tem à disposição. Assim ele consegue agir de maneira criteriosa e medir resultados.

Uma ferramenta bastante eficaz e que costuma fazer a diferença na vida de profissionais de companhias de pequeno, médio e grande porte sequer exige investimento: é a chamada Análise SWOT, ou em português, Análise FOFA, sigla para Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças. Para aplicá-la basta fazer uma listagem desses 4 elementos na sua oficina e cruzar os dados de maneira a encontrar meios para agir de maneira mais racional quando for necessário.

Assim, por exemplo, se na sua oficina você conta com colaboradores especializados em determinado tipo de procedimento, você tem uma força. Caso surja uma empresa concorrente de maior porte que faz um serviço generalista, o que é uma ameaça, então você pode concluir que focar apenas no tipo de serviço no qual você e sua equipe fazem bem pode ser uma oportunidade. Logo, apenas considerando os elementos da Análise SWOT é possível tomar decisões mais certeiras para sua gestão de oficina mecânica.

Não adotar esse tipo de prática é um erro, pois assim você corre o risco de tomar decisões erradas simplesmente por não ter parâmetros para agir.

Entendeu como você pode aperfeiçoar a sua gestão de oficina mecânica? Saiba mais sobre como tornar seus processos mais profissionais no dia a dia, acompanhando o trabalho da Alterdata nas redes sociais.

192 Artigos

Sobre o autor
Diretor da Vertical de Gestão da Alterdata.
Artigos
Artigos relacionados
Varejo

10 técnicas infalíveis para vender mais na papelaria

5 Mins de leitura
Essas 10 técnicas são capazes de fazer sua papelaria vender mais, o ano todo. Descubra quais são para aumentar o faturamento!
GestãoVarejo

Qual o melhor software de gestão para pequenas empresas?

5 Mins de leitura
Sabia que o ERP for ME é o melhor software de gestão empresarial para pequenas empresas? Venha conosco e entenda mais sobre ele agora mesmo!
ERPVarejo

Descubra o ERP for Me, o ERP para pequenas empresas

5 Mins de leitura
Você é MEI, ME ou tem um pequeno negócio? Ter um ERP para pequenas empresas pode ser fundamental para seu sucesso. Conheça o ERP for Me!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.