8 passos para montar um planejamento estratégico empresarial

Por mais que, anualmente, milhares de novos negócios surjam no Brasil, pouquíssimos conseguem sobreviver às oscilações próprias do mercado. De fato, gerir uma empresa é uma atividade de risco e exige mais que apenas um sonho de sucesso. Para buscar um lugar de destaque frente à concorrência, é preciso adotar estratégias específicas. Aí é que entra a elaboração de um bom planejamento estratégico empresarial.

Para que uma empresa dê certo e se mantenha firme no mercado, a despeito das crises ou da instabilidade do cenário econômico, vários fatores concorrem entre si. De toda forma, a seriedade, o profissionalismo e a organização são essenciais para o êxito de qualquer atividade empresarial.

Por isso, para alcançar o sucesso esperado, não basta contar com a sorte. É preciso possuir planos concretos e pensar na melhor forma de executá-los. É preciso saber lidar com as adversidades, reconhecer as deficiências próprias da organização e conhecer melhor ainda seus pontos fortes, sabendo como aproveitá-los favoravelmente.

Pronto para aprender a montar um planejamento estratégico empresarial? Acompanhando este post, você vai entender como como fazê-lo usando seus próprios conhecimentos e sua experiência. Então confira os 8 principais passos de um planejamento estratégico de sucesso para implementar agora mesmo no seu negócio!

1. Elabore um mapeamento

Antes de sequer começar a pensar em um planejamento estratégico, é importante que você conheça todos os detalhes sobre a empresa. É necessário, afinal, visualizar cada setor individualmente, entendendo quais são suas características principais e secundárias. Por meio da visualização de como o trabalho vem efetivamente sendo feito, esse mapeamento ajuda a compreender a real situação do negócio.

As principais informações que devem ser colhidas no mapeamento do negócio são:

  • dificuldades: setores ou processos em que ocorre acúmulo de trabalho, interferindo no fluxo das demais rotinas internas;
  • estímulo: setores ou processo que se destacam pela eficiência e agilidade no cumprimento das tarefas;
  • contato com cliente: avaliação de como está sendo feito o contato com os cliente e se é possível agregar valor nessa etapa;
  • interação entre setores: análise de como se dá a troca de informações entre os departamentos e avaliação da eficiência desse processo de troca.

​A partir do momento em que o empresário estabelece o mapeamento completo do seu negócio, todo o planejamento estratégico passa a correr com muito mais fluidez, garantindo resultados mais eficientes.

2. Estabeleça metas tangíveis

O segundo passo para um planejamento eficaz é o estabelecimento das metas que o empreendedor deseja alcançar com o negócio. E não são quaisquer metas! Para que cumpram sua função no planejamento estratégico, é preciso que sejam tangíveis, factíveis. Isso porque elas têm importante papel no desfecho empresarial.

Se, por um lado, as metas funcionam como uma espécie de bússola para o empreendedor, por outro, auxiliam na motivação da equipe de colaboradores. Isso sem contar que formam o pilar central de todo o planejamento estratégico da empresa!

Para estabelecer metas que realmente sejam cumpridas, vale seguir algumas dicas. Para começar, antes de estabelecer metas individuais, é necessário planejar uma meta central. Imagine que a meta seja aumentar em 100% o faturamento da empresa. Para isso, o departamento de marketing deve cumprir a meta X, o departamento de compras precisa correr atrás da meta Y e assim por diante. O aumento do faturamento é, assim, a meta central, enquanto as demais são metas individuais, secundárias.

Vale lembrar também que o empresário deve ser realista ao elaborar uma meta. Caso contrário, os colaboradores se sentirão tão desestimulados que provavelmente não lutarão para alcançá-la. E nada de focar somente no setor de vendas, viu? Uma empresa é feita de diversos setores e todos participam na hora de alcançar as metas estabelecidas.

Por fim, saiba que é essencial acompanhar o rendimento geral e estimular os envolvidos durante o processo, recompensando o esforço e a dedicação. A partir das metas é que serão desenvolvidas e ganharão corpo as outras etapas do planejamento, como a definição das estratégias para alcançá-las, a apuração dos resultados obtidos e a correção de desvios, por exemplo.

3. Faça uma análise interna

Agora que você já possui um mapeamento do negócio e sabe aonde quer chegar, está na hora de avaliar o aparato que tem disponível. Verifique quais são as forças e fraquezas do seu negócio e, a partir dessa análise, priorize os pontos fortes, ao mesmo tempo em que busca corrigir os desvios.

Se, por exemplo, sua empresa tem uma equipe desmotivada, é hora de pensar em mecanismos para promover mais entusiasmo no pessoal. E veja que ainda não estamos falando de estratégias propriamente ditas, mas sim de tornar seu ambiente interno o mais capacitado possível para o sucesso. Afinal, nenhuma empresa pode prosperar sem colaboradores engajados!

Por outro lado, se o forte da sua equipe é o atendimento de qualidade, é hora de focar e promover cada vez mais essa característica. Já se a empresa ainda não dispõe de tecnologia adequada, que tal pensar em realizar esse investimento? Aqui vale aquela regra de investir no que você tem de melhor para se destacar da concorrência. Nessa fase, o segredo é se preparar bem para as batalhas da vida empresarial.

4. Use a inteligência de mercado

Inteligência de mercado é o nome que se dá para a técnica de avaliação de potencialidades, demandas, riscos e desafios do cenário econômico em que seu negócio está inserido. Por meio dela, é possível traçar metas mais razoáveis e tangíveis, rever e adequar objetivos já definidos, bem como se preparar melhor para lidar com os altos e baixos da economia. Trata-se de uma etapa indispensável para montar um planejamento estratégico de qualidade.

Um excelente exemplo de metodologia usado atualmente pela inteligência de mercado é o Big Data — nome atribuído ao grande volume de dados produzidos e armazenados na internet. Esses dados trazem informações preciosas sobre padrões de consumo, preferências e hábitos dos consumidores. Com uma análise minuciosa, é possível chegar a tendências de compra que farão toda diferença na elaboração de um plano de vendas, por exemplo.

A inteligência de mercado traz vantagens significativas, como:

  • ajuda a empresa a conhecer melhor seus atuais clientes;
  • auxilia na identificação dos clientes em potencial;
  • apresenta claramente os problemas de mercado do seu segmento;
  • ajuda a entender como os consumidores enxergam a marca;
  • avalia o posicionamento e as ações da concorrência;
  • permite que as equipes de vendas estruturem melhor suas abordagens;
  • ajuda a visualizar a necessidade de mudança em sua linha de produtos ou serviços.

5. Defina as estratégias

Agora que você já sabe quais são os objetivos que pretende alcançar com o negócio, conhece suas potencialidades e falhas e entende como anda o cenário econômico, pode se dedicar à definição das estratégias necessárias para tornar reais seus objetivos.

Se buscarmos no dicionário o significado da palavra estratégia, veremos que ela é definida como a habilidade de desenvolver técnicas, táticas ou manobras para atingir um alvo. No caso específico do planejamento empresarial, a estratégia usada deve ser a mais apta a conduzir a empresa ao alcance das metas no menor prazo possível e, de preferência, gastando o mínimo de recursos, uma vez que a atividade empresarial sempre visa expandir seus lucros.

De fato, essa é a etapa central do planejamento estratégico. Afinal, é nesse estágio que o gestor vai definir os caminhos a serem percorridos para implementar as metas fixadas. Para isso, é necessário observar as informações obtidas com a inteligência de mercado, que servirão de base para a tomada de decisões e para a definição dos rumos que o empreendimento deve tomar.

6. Monitore os resultados

Essa é outra etapa extremamente importante para montar planejamento estratégico: a mensuração dos resultados. Afinal, de nada adianta definir metas, fazer pesquisas de mercado, analisar as potencialidades e definir estratégias se todas essas etapas não forem monitoradas para se ver se estão conduzindo a organização ao atingimento dos fins almejados.

Aliás, o planejamento só será estratégico se conseguir conduzir a empresa ao atingimento de suas metas e se proporcionar meios para realinhar as técnicas a fim de alcançar os objetivos. Por isso, é preciso fazer uma análise periódica das estratégias eleitas e do seu potencial para o sucesso do negócio. Assim, tal fase será uma espécie de termômetro que orientará o gestor sobre a eficácia das medidas adotadas.

Os indicadores de desempenho representam o resultado daquilo que foi obtido pela empresa em função de suas ações passadas. Esses parâmetros trazem informações sobre as vendas, a conquista de novos clientes, a manutenção de consumidores antigos, a perda de clientes, o posicionamento no mercado e muito mais. São informações muito importantes para que o empresário entenda se sua estratégia está alcançando os efeitos almejados ou se enseja mudanças de postura.

7. Corrija eventuais falhas

Um planejamento estratégico de qualidade também não pode prescindir do estabelecimento de mecanismos para corrigir eventuais erros de gestão ou a própria ineficácia das estratégias, redirecionando os trabalhos para o caminho do sucesso. Essa nova etapa dependerá fundamentalmente da realização do monitoramento dos resultados, afinal, somente a partir da identificação das falhas é que é possível decidir a melhor maneira de corrigi-las.

No fim das contas, quando pensamos em sucesso empresarial, não podemos deixar de refletir sobre alguns fatores que diferenciam as empresas que dão certo das que, infelizmente, não dão. Dentre eles está justamente a forma de execução e planejamento das técnicas de gestão empresarial.

8. Organize investimentos inteligentes

Aqui vai uma dica que pode fazer toda diferença no resultado alcançado por meio de ações de planejamento estratégico: organize investimentos inteligentes. Existem muitas formas de investir em uma empresa, certo? E por mais que o foco desses investimentos dependa de características específicas do negócio, algumas alternativas são úteis e benéficas para toda empresa que está buscando crescimento e eficiência. Veja só!

Invista nos colaboradores

Você certamente já deve ter ouvido falar que o grande capital de uma empresa é o capital humano. E essa afirmativa reflete uma realidade mais que consolidada no meio empresarial. É simples: mesmo que você tenha um produto que seja altamente aceito no mercado, sem seus colaboradores, a empresa não existe. E já que os funcionários são os principais responsáveis pelo sucesso do seu negócio, é essencial investir na capacitação, na satisfação e no sucesso dessas pessoas.

Lá atrás, ainda na contratação, busque sempre por talentos que tenham as mesmas ideologias do negócio, que se identifiquem com a marca e com seus objetivos. Mas não pare por aí! Durante toda a trajetória dos colaboradores na empresa, faça com que se sintam parte do todo, fundamentais para o sucesso coletivo. Promova constantemente a capacitação, reconheça esforços, dê feedback, fomente a colaboração, incentive a comunicação e seja transparente. Essa é a melhor forma de ter um bom retorno.

Invista na satisfação dos clientes

Não tem mistério: clientes satisfeitos voltam a comprar seu produto ou a contratar seu serviço. E melhor ainda: além de voltarem, eles também fazem propaganda positiva! São, assim, a melhor estratégia de marketing para o negócio! Afinal, a indicação de um consumidor satisfeito é a forma mais fácil e eficiente de conquistar novos clientes.

Por isso, invista permanentemente em ações voltadas para a satisfação do cliente. Reveja as práticas adotadas por seu setor de atendimento ao cliente, avalie individualmente as reclamações, resolva os problemas e sempre dê um retorno para o consumidor. Não se esqueça que, sem clientes, seu negócio não tem razão de ser.

Invista em softwares de gestão de informações

A tecnologia já está integrada à vida das pessoas. Estamos todos diariamente conectados à internet, às redes sociais e aos mais diversos sites de notícia, por exemplo. Nunca foi tão fácil e rápido consumir informação. Só que esse excesso e a facilidade de acessar informações que transitam do lado de fora da empresa também ocupam os departamentos do negócio. Por isso, é muito importante que a empresa esteja constantemente atualizada e focada em soluções e softwares que otimizem os processos internos.

Hoje em dia, toda empresa precisa armazenar, gerir e consumir os próprios dados gerados. E isso é especialmente verdade para as que usam o planejamento estratégico empresarial como forma de alavancar suas vendas.

Com softwares projetados de acordo com as necessidades do negócio, é possível trazer comodidade, segurança e Tecnologia da Informação para a rotina e as tarefas diárias realizadas dentro da empresa. Invista nessas ferramentas e observe como o rendimento do negócio vai melhorar — e a curto prazo!

Como vimos, gerenciar a empresa é uma atividade complexa, que exige constante seriedade e determinação. E, em um cenário econômico marcado pela intensa competitividade entre as organizações, amadores não se sustentarão. Só quem dirige seu negócio com paixão e compromisso é digno de merecer e alcançar o tão sonhado sucesso. E que bom que é assim, não concorda?

Mas e aí, gostou do nosso post sobre como montar um planejamento estratégico de qualidade? Então aproveite para assinar a nossa newsletter e ficar por dentro de outros conteúdos que o ajudarão na gestão eficiente do seu negócio!

Related Posts

Como entender o comportamento do consumidor no ponto de...

[INFOGRÁFICO] Checklist como fazer um Demonstrativo de...

Produtividade do escritório de contabilidade: 10...

Deixe uma resposta