NOVO! Confira o último episódio do podcast Contabilidade sem neura Ouvir agora
Gestão Contábil

Duplicata eletrônica: o que é e como realizar seu registro

4 Mins de leitura

Encontrar meios de cobrança que facilitem o dia a dia da empresa é essencial para tornar a gestão do negócio mais simples e desburocratizada. O uso da duplicata eletrônica simplificou diversas etapas do planejamento financeiro e trouxe para o ambiente digital um dos principais títulos utilizados no dia a dia de qualquer corporação.

Por conta da autorização do uso desse documento, houve um grande alívio em questões burocráticas e isso levou a melhorias nos processos internos do setor financeiro das empresas. Se você quer saber mais sobre a duplicata eletrônica e como pode ser feito o seu registro, continue a leitura e confira nossas recomendações!

O que é uma duplicata eletrônica?

A duplicata eletrônica é a digitalização de um título emitido por conta da comercialização de um produto ou serviço com prazo de pagamento superior a 30 dias. Assim, quando há venda de um item parcelado no crédito, é possível emitir uma duplicata digital.

Tal documento foi aprovado recentemente pelo Banco Central e pelo Conselho Monetário Nacional. Desse modo, será possível utilizar a duplicata eletrônica como uma maneira simples de realizar transações.

Para isso, a transição do modelo atual, emitido em papel, para o novo formato digitalizado se dará de forma gradual e vai considerar o tamanho do negócio para isso. Assim, empresas e bancos conseguem tempo com o objetivo de se organizar e começar a usar essa solução.

Como registrar duplicatas?

Caso sua empresa faça uma negociação de crédito com uma instituição financeira e ocorra a emissão de duplicata, você tem a obrigatoriedade de realizar um registro. Para isso, deve buscar uma certificadora, que será responsável pela escrituração e controle do ciclo de vida desse documento eletrônico.

O calendário, a fim de garantir a adaptação ao novo sistema de registro, acontece em 2022 e segue uma ordem em acordo pela receita bruta anual do negócio, conforme abaixo:

  • a partir de 360 dias da aprovação da convenção realizada pelo Banco Central, empresas com receita bruta anual superior a R$ 300.000.000,00 devem realizar o registro;
  • organizações com receita bruta anual entre 4.800.000,00 e R$ 300.000.000,00 têm 540 dias a partir da aprovação da convenção;
  • empresas de pequeno porte, com receita bruta variando de 360.000,00 A 4.800.000,00 têm 720 dias contados a partir da validação da convenção.

A partir desse cronograma, as companhias podem integrar as duplicatas a uma plataforma. Assim, as instituições financeiras passam a realizar o registro e a controlar todo o ciclo de vida do processo. Para isso, vale escolher um bom sistema que auxilie na gestão dos dados financeiros e acompanhamento das informações relevantes de forma automatizada.

Como a digitalização pode facilitar a liberação de crédito?

No modelo impresso, o risco de fraude é maior e, por isso, as instituições financeiras não aceitam o instrumento no intuito de realizar a liberação do crédito. Como alternativa, utilizam o histórico de faturamento da empresa para isso. Porém, com a digitalização da duplicata, isso tende a se alterar.

Tal fato acontece porque a duplicata eletrônica oferece mais segurança para as negociações. Desse modo, empresas que demandam crédito podem se beneficiar e conseguir a liberação de forma agilizada, assegurando melhor andamento para os projetos.

Banner eContador Alterdata

Em suma, o uso de duplicatas eletrônicas oferece um meio de garantir simetria de informação e, consequentemente, maior segurança tanto para empresas quanto para instituições financeiras, facilitando a oferta de crédito e melhorando os resultados de negócios de diversos tamanhos.

Quais os benefícios das duplicatas eletrônicas?

Ao contar com esse tipo de título, você tem acesso a diversas vantagens relacionadas com a transparência e segurança, oferecendo mais estabilidade e previsibilidade para a corporação. Se você quer entender melhor quais são os benefícios que as duplicatas eletrônicas vão proporcionar, continue a leitura e confira!

Previne fraudes

O uso de duplicatas eletrônicas é um excelente meio para evitar fraudes, impedindo a emissão de documentos conhecidos como duplicatas frias — ou seja, títulos falsos que não apresentam correspondência à dívida real.

Por causa de tal prática, o título pode ser protestado sem que o devedor saiba. Entretanto, por conta da emissão eletrônica, esse tipo de prática se torna impossibilitada, oferecendo mais confiabilidade para todas as partes envolvidas nessa relação de compra. Além disso, há possibilidade de assinatura digital, atribuindo ainda mais segurança para essa transação. 

Contribui para a redução das taxas de juros

Por conta do aumento na segurança desse título, os bancos podem traduzir essa redução de risco em melhores taxas de juros para a concessão do crédito. Isso permite que mais operações sejam realizadas e tanto as empresas quanto os consumidores se beneficiam dessa segurança adicional.

Portanto, essa pode ser uma ótima alternativa para uma empresa que necessita de crédito para dar andamento aos projetos, mas que considera a taxa de juros a fim de fazer a análise de viabilidade econômica para assegurar maior lucratividade.

Amplia o acesso ao crédito

Para empresas que necessitam de recurso a fim de pagar suas contas ou investir, o uso de uma duplicata eletrônica pode ser uma alternativa para obter esse crédito. Como a versão digital do documento oferece mais transparência e segurança, o volume de empréstimos gerados por meio desse instrumento também é maior. Isso proporciona liberdade para que os empreendedores escolham as alternativas mais adequadas para seu negócio. 

Elimina erros de registros

Um dos problemas associados ao preenchimento de duplicatas no formato tradicional é a possibilidade de erros nos dados e valores. Por meio das tecnologias digitais, há recursos para a centralização de informações e registros. Isso faz com que erros manuais e dados incorretos sejam evitados. Há vários benefícios tanto para o devedor quanto para o emissor que asseguram, por meio da duplicata, o que foi estabelecido na negociação.

Viu como a duplicata eletrônica é um instrumento essencial na gestão financeira do seu negócio? Por meio dela, é possível realizar transações com prazos flexíveis e desburocratizar várias negociações. Além disso, ao contar com sua versão digital, você tem acesso a um instrumento seguro e transparente que garante a tranquilidade de todos os envolvidos no acordo.

Gostou do nosso artigo? Então continue com sua visita ao nosso blog e descubra como organizar um fluxo de caixa em tempos de crise!

PLANILHA PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO 2022
167 Artigos

Sobre o autor
Diretor da Vertical Contábil da Alterdata.
Artigos
Artigos relacionados
Gestão Contábil

Migrar software para a nuvem: quando adotar essa estratégia?

5 Mins de leitura
A mudança no formato de sistema de gestão empresarial é uma tendência que tomou conta do mercado de desenvolvimento. Enquanto a maior…
Gestão Contábil

Planejamento estratégico: como alavancar a gestão do seu escritório contábil

5 Mins de leitura
O planejamento estratégico é essencial para que qualquer empresa escale seus resultados e alcance um grande desempenho de longo prazo. Como o…
Gestão Contábil

Conheça 5 melhores sistemas contábeis!

4 Mins de leitura
Já não é bem uma novidade que vivemos uma era de transformação digital, em que inovações tecnológicas surgem em um ritmo altamente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.