Conheça os principais critérios para escolha do sistema ERP da sua empresa

Sigla para Enterprise Resource Planning, os sistemas ERP são softwares de gestão empresarial integrados que têm como finalidade unificar soluções relacionadas a diversas informações gerenciais dos departamentos de uma empresa: Contabilidade, Finanças, Fiscal, RH, Suprimentos, Patrimônio e Vendas.

No artigo de hoje, apresentaremos o que é e quais são os critérios importantes que devem ser levados em consideração no momento da escolha do sistema ERP. Vamos lá?

O que é um ERP?

Os sistemas ERP são plataformas de software capazes de armazenar as mais diversas informações que circulam nos variados setores de uma empresa e automatizar seu fluxo, de forma única, contínua e consistente. Eles podem englobar os registros de produção, de compra e de controle de estoque, financeiros (contas a receber, a pagar e fluxo de caixa), contabilidade, folha de pagamento, entre outros.

O ERP controla toda a empresa. Todos os processos são documentados e contabilizados, o que permite enxergar as regras de negócio de forma bem definida e possibilita maior controle sobre pontos delicados do negócio, como a administração de custos, o controle fiscal e os estoques.

Aderir a esses sistemas põe fim aos vários processos que funcionavam de forma isolada na empresa, com informações redundantes e pouco ou nada confiáveis.

O que avaliar no momento da escolha do sistema ERP?

Para aproveitar toda a sua potencialidade, é preciso pensar bem em alguns critérios no momento da escolha do sistema ERP. Estes são alguns elementos a se analisar:

1. Funcionalidade

Em primeiro lugar, é preciso entender o funcionamento da sua empresa e, então, encontrar o sistema ERP ideal. Veja bem: disse encontrar, não ser encontrado. Muitas empresas cometem o equívoco de forçar sua estrutura a se adequar ao sistema de gestão, quando o movimento deveria ser o contrário. Afinal, cada empresa possui suas peculiaridades.

É preciso analisar as funcionalidades do que lhe é oferecido como solução ERP e imaginar se aquilo se adéqua aos sistemas já consolidados no seu negócio.

2. Flexibilidade

Ser dinâmico deixou de ser um diferencial para se tornar um requisito. Todo negócio que faz a acertada decisão de investir em tecnologia para melhorar seu desempenho deve optar por um sistema ERP flexível. Permitir customizações, ser responsivo ou estar disponível em nuvem. Tudo o que facilite o acesso e traga comodidade.

Com um ERP flexível, é possível manter a gestão da empresa em dia de qualquer lugar, sem contar que sua equipe atuará de maneira notavelmente mais eficiente e ágil se puder alimentar ou consultar o sistema de onde quer que esteja.

3. Escalabilidade

Todo bom negócio envolve a busca por crescimento, expansão dos lucros. Escolha um sistema ERP que não limite sua base de dados conforme seu negócio cresce e evolui. Pode ser que hoje você trabalhe com um time pequeno de colaboradores e uma cartela de poucos clientes, mas daqui algum tempo os números podem se multiplicar.

Seu ERP tem de comportar toda essa informação e continuar sendo útil aos propósitos da sua gestão, sem perder a qualidade dos processos, a segurança dos dados e a efetividade das informações.

4. Custo-benefício

Por estarmos falando de investimento em longo prazo, não há como descartar os custos da solução. Adquirir o sistema ERP mais caro não garante que seja o de maior qualidade, assim como nem sempre o mais barato vai garantir sua satisfação. Compare as opções de sistemas ERP, pondere levando em consideração os itens anteriores e então balanceie essa lista levando em conta o preço.

Escolher o sistema ERP pode ser difícil, mas, se ainda possuir dúvidas sobre o assunto, não deixe de conferir nosso artigo sobre “O que é um ERP e como ele funciona?”.

Alterdata Software Bimer

Related Posts

Por que automatizar sua escrituração fiscal?

Alterdata Software investe em startups de funcionários

Monitoramento de áreas comuns: como fazer em...

Deixe uma resposta