Demonstrações contábeis ou financeiras: entenda como funciona

As demonstrações contábeis configuram um conjunto de técnicas que oferece um panorama e uma análise geral da situação financeira de um negócio em determinado período. Assim, a demonstração financeira de uma empresa pode ser conferida a partir da análise de elementos da contabilidade, tais como o Balanço Patrimonial, a Demonstração de Resultado do Exercício e a Demonstração dos Fluxos de Caixa, entre outros. Tais elementos representam uma importante ferramenta de auxílio à tomada de decisões por parte dos empreendedores, independentemente da atividade que exercem ou do tamanho do empreendimento. Quer saber mais sobre as demonstrações contábeis e entender qual a sua real importância para as empresas? Continue lendo e entenda como esses processos funcionam!

O que é a demonstração financeira de uma empresa?

As demonstrações contábeis têm como objetivo principal mostrar para o usuário qual é a situação patrimonial e financeira da empresa. Elas garantem uma visualização melhor da saúde financeira da organização, permitindo assim melhores condições para os gestores saberem se o momento é ou não adequado para dar sequência a investimentos ou cortar gastos. Esses relatórios dão a base para calcular impostos, gerenciar o fluxo de caixa, planejar investimentos e, a partir daí, gerir o negócio como um todo.

Qual a sua importância para o negócio?

As demonstrações contábeis funcionam como um dashboard (painel de controle) para o time de finanças, os sócios ou mesmo para potenciais investidores saberem como tomar decisões de negócios mais sólidas e certeiras. Elas também são usadas para instituições financeiras aprovarem financiamentos, uma vez que revelam os recursos disponíveis da empresa e sua capacidade financeira de arcar com o empréstimo. A demonstração contábil pode detalhar todas as despesas do negócio, servindo de base para definir o retorno sobre os investimentos e o lucro previsto de determinado empreendimento. Dessa forma, nenhum elemento será desconsiderado nos cálculos e nenhuma decisão será tomada partindo de interpretações equivocadas acerca da situação financeira do negócio. Com as demonstrações em mãos, o gestor conseguirá descobrir:
  • suas previsões financeiras;
  • o retorno sobre os investimentos realizados;
  • do que é composto seu caixa;
  • de onde entra e para onde vai seu capital.

Quais são as demonstrações contábeis existentes?

Existem diversos tipos de demonstrações contábeis, dependendo do foco em questão. Citando aqui as de maior relevância para um investidor em potencial, temos:
  • a Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC);
  • a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE);
  • o Balanço Patrimonial (BP).
As outras demonstrações financeiras de uma empresa são acessórias:
  • Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL);
  • Demonstração do Resultado Abrangente (DRA);
  • Demonstração do Valor Adicionado (DVA);
  • notas explicativas;
  • relatório da administração.
Continue de olho para entender mais sobre elas!

Balanço Patrimonial

Esse é o relatório contábil mais conhecido e também o mais simples. De acordo com a Lei 6.404, de dezembro de 1976, essa demonstração deve ser constituída pelo passivo, ativo e patrimônio líquido da pessoa jurídica. Por meio dela, é possível avaliar todo o conjunto de bens, direitos (os ativos) e as obrigações a pagar (os passivos) de uma empresa. Funciona da seguinte forma: os ativos representam todo o conjunto de investimentos do negócio, enquanto os passivos e o patrimônio líquido representam as fontes e as origens dos recursos. A estrutura do Balanço Patrimonial se baseia na equação: ativos – passivos = patrimônio líquido. O patrimônio líquido surge, portanto, como a diferença entre ativos e passivos, representando o saldo da organização. Com ele, é possível obter informações mais precisas sobre o que foi investido, o conjunto de aplicações realizadas em determinado período, quem efetivamente fez os financiamentos das aplicações, qual o perfil das dívidas, entre outros. Entre os benefícios de realizar o Balanço Patrimonial está a correta análise sobre a situação econômica da empresa, o que pode gerar análises comparativas com seus concorrentes. Por meio de índices de mercado, é possível saber se um negócio tem pouco ou muito dinheiro em caixa comparado a outros do mesmo setor. Entenda: com esses dados, é possível tomar decisões de gestão mais precisas, sejam relacionadas a investimentos em inovação, logística e criação de novos produtos, o que ajuda na manutenção da eficiência e da competitividade da empresa.

Demonstração de Resultado do Exercício

Assim como o Balanço Patrimonial, as Demonstrações de Resultado do Exercício (DREs) mostram, de maneira resumida, as informações referentes aos fatos contábeis da empresa. Nesse caso, porém, o foco está nos créditos e débitos recebidos pela Apuração do Resultado do Exercício (ARE). Nessa apuração, o resultado obtido é relacionado ao conjunto de operações realizadas em determinado período (geralmente, um ano) e apresentado verticalmente, de forma sucinta. Entre as informações que devem ser apresentadas pelas empresas nessa demonstração estão:
  • receita bruta de serviços e vendas, além de suas deduções, abatimentos e impostos;
  • receita líquida de serviços e vendas, custo base e lucro bruto;
  • despesas com vendas e despesas financeiras, com dedução de receitas, despesas gerais e de administração, além de possíveis despesas de operação;
  • lucro, prejuízo, receitas e despesas em diversas operações;
  • resultado do período anterior ao Imposto de Renda (IR) e o aprovisionamento para o tributo;
  • participações em debêntures, folha salarial de empregados e partes beneficiárias, instrumentos financeiros, instituições ou fundos de assistência e previdência de colaboradores;
  • lucro ou prejuízo do período, além de seu total no capital social.

Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados

A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) concentra sua atenção na conta de lucros do patrimônio líquido da empresa. Por meio dessa demonstração, é possível ter uma ideia precisa do que aconteceu com os lucros ou com os prejuízos ao longo do período analisado. Dessa maneira, é possível saber quais ações e indicadores mais influenciaram na mudança do patrimônio da empresa, conferindo dados para novos insights, ações e investimentos em diversas áreas, como a avaliação da folha salarial de colaboradores, ações para conter o desperdício em produção e até para reavaliar o contrato de fornecedores. A entrega dessa demonstração só é obrigatória para empresas com caráter de sociedade limitada — as famosas Ltdas. Organizações de outros moldes só precisam que esses dados estejam na Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL). O que não pode faltar nesse laudo é:
  • prejuízos ou lucros acumulados no fim e no começo do ano contábil;
  • declaração dos lucros e dividendos do período;
  • ajustes realizados por mudanças contábeis ou correções de períodos passados.

Demonstração de Fluxo de Caixa

A Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC) indica quais foram as entradas e as saídas de dinheiro do caixa da empresa durante o período em questão, bem como o resultado desse fluxo. Isso permite avaliar os principais fatores de gastos e lucros do negócio, possibilitando a execução de ações variadas para aumentar a eficiência e o retorno dos investimentos realizados. Existem 2 métodos principais de apresentar essas demonstrações:
  1. indireto: nele, os recursos das operações realizadas são obtidos com o lucro líquido, após o desconto de vários fatores, como amortização e depreciação;
  2. direto: nesse método são incluídos os valores brutos de recebimentos e pagamentos operacionais.

Demonstração do Valor Adicionado

A Demonstração do Valor Adicionado (DVA) é o informe contábil que revela os valores correspondentes à formação da riqueza da empresa em determinado período, além de sua respectiva distribuição. Essas demonstrações contábeis são obrigatórias para as chamadas empresas de capital aberto. Seu principal objetivo é mostrar como o cálculo desse capital e do patrimônio da organização é relacionado aos principais promotores do seu crescimento, como colaboradores, proprietários e investidores, em dado período. Esse relatório é crucial para as organizações que desejam captar novos investidores e financiadores para ações de crescimento da empresa, pois confere mais credibilidade e transparência, o que aumenta seu perfil e notas de investimento no mercado financeiro e na Bolsa de Valores.

Notas explicativas

As notas explicativas nada mais são que complementos que fornecem informações para fins de esclarecimento da situação patrimonial do negócio, podendo estar relacionadas a qualquer outra demonstração financeira de uma empresa. Seu principal objetivo é esclarecer dúvidas sobre o patrimônio corporativo, citando fatos, resultados, investimentos ou situações que possam afetar diretamente a empresa, seja de forma positiva ou negativa.

Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido

Essa demonstração detalha toda a movimentação das contas do patrimônio líquido ao longo do exercício social da empresa. Isso inclui a destinação de resultados do período, a integralização do capital e o acréscimo ou a redução das reservas da empresa. A DMPL informará dados referentes a:
  • saldos no início do período;
  • redução e aumento de capital;
  • reavaliação dos ativos;
  • distribuição de lucros;
  • compensação de prejuízos;
  • transferências/reversões de recursos e de reservas;
  • destino do lucro líquido durante um exercício;
  • saldo no fim do exercício.

Demonstração do Resultado Abrangente

A Demonstração de Resultado Abrangente (DRA) apresenta as receitas, despesas e quaisquer outras mutações que afetem o patrimônio líquido da empresa que ainda não tenham sido reconhecidas na Demonstração do Resultado do Exercício. A DRA apresenta informações importantes sobre os ajustes realizados de forma a contribuir para um conhecimento mais apurado sobre o capital próprio da organização. Os itens de resultado abrangente que exigem essa demonstração são:
  • ganhos e perdas vindos de demonstrações contábeis de operações no exterior;
  • ganhos e perdas atuariais;
  • mudanças em valores justos de instrumentos de hedge;
  • correção de erros e alterações de políticas contábeis relativos a períodos anteriores.
A natureza desses elementos normalmente não se relacionam com a atuação de pequenas e médias empresas, de modo que elas dificilmente serão obrigadas a produzir a Demonstração de Resultado Abrangente.

Relatório de administração

O relatório de administração tem por objetivo apresentar os principais resultados da empresa em determinado período. São informações que revelam o cenário interior do desempenho administrativo da gestão, bem como onde foram alocados os recursos que lhe foram designados.

É possível tornar esses processos mais eficientes?

Como você pôde perceber, a elaboração de qualquer demonstração financeira de uma empresa envolve dados precisos e necessita de bastante atenção. Felizmente, a tecnologia hoje permite que os gestores façam tais cálculos e levantem esses dados de forma automatizada, tornando o processo mais eficiente, transparente e com um risco menor de falhas. Nesse contexto, os ERPs direcionados ao gerenciamento financeiro são aliados indispensáveis ao setor, permitindo à empresa ter maior controle e agilidade na elaboração e emissão de demonstrações contábeis. Por fim, se você quer saber como funciona um sistema de contabilidade e como ele pode dar suporte a ações e planejamentos no cotidiano do seu negócio, baixe agora nosso e-book sobre sistema contábil!

Inscreva-se na nossa newsletter e mantenha-se informado sobre os principais assuntos do ramo


Rodrigo Mendes

Diretor da Vertical Contábil da Alterdata.

Comentários (6)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Sobre

Desde o início, sempre com soluções próprias, +400k sistemas em operação com facilidade, simplesmente porque acredita que ter bons produtos é fundamental, além do essencial, é ter um ótimo atendimento.

©1989 - 2019 - Alterdata Software - Direitos reservados.