Passo a passo para a construção de um negócio escalável

Conquistar novos clientes, destacar-se perante a concorrência e conquistar o reconhecimento do mercado: aí estão 3 objetivos presentes na lista de desejos de todo empreendedor. No entanto, para alcançar tudo isso de forma sustentável, é preciso planejamento.

Mesmo em um momento de crise, a empresa não pode simplesmente sobreviver. O ideal é que ela cresça! É importante, assim, conhecer a ideia de negócio escalável. Você sabe o que isso quer dizer e como pode ser aplicado ao seu negócio? Descubra agora mesmo!

O conceito de negócio escalável

Quando o assunto é crescimento empresarial, logo pensamos em aumento de receita, que vem acompanhando de muitos custos e despesas, certo? Pois é aí que um negócio escalável se diferencia. Nesse caso, o crescimento das entradas é proporcionalmente muito maior que o aumento das saídas. É possível, assim, elevar os lucros a médio e longo prazos sem ver os gastos explodirem, tornando-se incontroláveis.

Sabe aquela história de que é preciso fazer mais com menos? A escalabilidade funciona exatamente dessa forma, reunindo condições para aumentar a produtividade, as vendas e os lucros, ao mesmo tempo em que diminui os custos. Não é nada difícil imaginar, portanto, que um modelo de negócio escalável gera uma série de benefícios para a empresa. E é sobre isso que vamos falar a seguir!

As vantagens de um negócio escalável

A essa altura, você já entendeu que negócios escaláveis são mais lucrativos, correto? Isso, por si só, já é uma grande vantagem. O que acontece, no entanto, é que esse é o benefício final desse modelo de negócio, resultado de todas as outras vantagens por ele proporcionadas. Curioso para conhecer esse leque de benefícios? Acompanhe!

Estabilidade

Quando a lucratividade de um negócio é baixa, qualquer instabilidade já pode significar prejuízo. Afinal, entradas e saídas de capital são tão próximas que uma queda na primeira pode sim jogar seu negócio em uma crise. E não tem como negar: é mais que normal passar por momentos de instabilidade influenciados pelo contexto econômico geral.

Um negócio escalável, no entanto, prima por manter um espaço seguro entre os valores que entram e os que saem do seu caixa. O resultado é que, mesmo sofrendo perdas momentâneas, o empreendimento consegue sobreviver sem que seja necessário fazer grandes sacrifícios.

Competitividade

Como a disputa pelo mercado está cada vez mais acirrada, garantir vantagens competitivas para a empresa é uma ótima maneira de não ficar para trás na corrida por novos clientes. Aí entra a escalabilidade, que preza pelo aumento gradativo da produtividade sem abrir mão de seus parâmetros de qualidade. Isso significa atender com excelência, mas com menos custos e despesas.

Longevidade

Empreendedores e gestores de sucesso não pensam só no aqui e agora. Eles querem criar negócios duradouros, que se mantenham lucrativos e relevantes por anos e anos. A melhor maneira de fazer isso é não se deixar estagnar, buscando sempre um crescimento que se sustente ao longo do tempo. Mais uma vez, a resposta está na escalabilidade!

Escalando seu negócio, você tem plenas condições de alcançar essa meta. Nesse contexto, o planejamento é voltado para criar bases seguras sobre as quais a empresa se manterá. A própria estrutura do negócio escalável ajuda a promover uma adaptação ágil frente a qualquer mudança no seu nicho de mercado.

A criação de um negócio escalável

Agora que você já conhece as principais vantagens proporcionadas por um modelo escalável, chegou a hora de colocar a mão na massa. Pronto para realmente transformar seu negócio? Basta seguir os passos que listamos a seguir!

Padronize processos

A padronização dos processos internos é fundamental para aumentar a eficiência produtiva, diminuir a quantidade de erros e facilitar o controle de resultados. É importante que as ações realizadas pela empresa sigam uma lógica clara, facilmente entendível por seus colaboradores.

Mas atenção: nada de confundir padronização com engessamento de processos! Lembre-se de que é importantíssimo deixar as portas abertas para a criatividade entrar. Afinal, é por meio dela que a empresa se mantém capaz de inovar continuamente.

Crie replicabilidade

Não basta ter processos padronizados. É preciso que eles sejam replicáveis! Para isso, vale apostar na simplificação do modo como a empresa funciona. Assim, quando forem dados saltos de crescimento, as diretrizes empresariais podem ser repetidas em uma escala maior.

Procure se adaptar

Processos replicáveis são eficientes quando pensamos em um crescimento quantitativo. Ao se atingir novos nichos de mercado, no entanto, pode surgir a necessidade de adaptar processos específicos. Assim, ter certa flexibilidade para adequar produtos ou serviços para um novo público é um diferencial e tanto para manter o crescimento contínuo.

Invista em valor

Com um aumento de produtividade mais acelerado que o aumento de custos, a capacidade de gerar valor agregado aos produtos e serviços é demanda básica. Isso acontece porque, ao vender um produto único ou dominar um modelo de produção exclusivo, o empreendedor consegue otimizar seu preço. Afinal, nenhum de seus concorrentes é capaz de realizar a mesma tarefa com a mesma eficiência.

Então anote aí para não esquecer: um alto valor agregado amplia ainda mais a diferença entre os custos de produção e o preço de venda. Como consequência, o negócio garante uma lucratividade maior.

Controle gastos e despesas

A sustentabilidade do negócio depende da capacidade empresarial de manter custos e despesas controlados. Nesse caso, menos é mais. Organizações que funcionam de forma enxuta, acionando fornecedores apenas quando realmente necessário e contando com infraestrutura adequada a seu tamanho, conseguem entregar melhores resultados sem onerar demais seu orçamento.

Conte com a tecnologia

É simplesmente impossível pensar em diminuir custos e aumentar a produtividade sem recorrer às ferramentas certas. A boa notícia é que atualmente existem diversas soluções tecnológicas que podem ajudar sua empresa a se tornar escalável, sendo a principal delas o famoso ERP.

Sigla para Enterprise Resource Planning, o ERP é uma solução que reúne vários processos de gestão empresarial em um único sistema. A ideia é conseguir integrar em uma única interface os dados de todos os setores de um negócio — como vendas, marketing, RH e logística.

Disponibilizando para os gestores todas as informações essenciais do negócio, o ERP facilita a tomada de decisões estratégicas. Capaz de gerar relatórios automáticos e de fácil leitura, o sistema simplifica o controle empresarial. Assim, a empresa consegue realizar mais tarefas sem ter que contratar diferentes programas ou adquirir vários hardwares para cada setor da organização.

Vale lembrar, ainda, que os ERP são escaláveis! Isso porque funcionam por meio de módulos que podem ser acrescidos ao sistema na medida em que a própria empresa cresce e passa, portanto, a precisar de um sistema de informação mais robusto.

Agora você já sabe como criar um negócio escalável! No entanto, nunca é demais aprender sobre gestão empresarial, não concorda? Então assine a nossa newsletter para acompanhar as novidades do nosso blog diretamente da sua caixa de entrada!

 

Related Posts

Lean startup: entenda o que é e quais são seus...

5 mudanças na contabilidade que você precisa...

5 benefícios de um sistema ERP para a gestão da sua...

Deixe uma resposta