Blog Alterdata

Como estruturar o PDV da sua loja de roupas?

Numa loja de roupas, o visual fala muito — e não estamos falando apenas das peças. Tanto o ambiente interno quanto o externo do seu ponto de venda (PDV) deve ser pensado com cuidado. Ele transmite a identidade do seu negócio é ponto-chave para atrair a cliente ao seu produto.

Não só a vitrine, mas o PDV por completo chama a atenção das consumidoras. Detalhes que achamos que vão passar despercebidos podem ser fundamentais na decisão de compra. Neste post, vamos entender como estruturar o PDV da sua loja de roupas. Confira:

Quais os pilares da gestão do PDV?

Existem fatores essenciais para a manutenção de um PDV:

6 dicas simples para estruturar o PDV de uma loja de roupas

Veja como organizar seu ponto de vendas para atrair mais clientes e aumentar as vendas:

1. Iluminação

Uma boa iluminação atrai consumidores. Na vitrine ou no interior do estabelecimento, ela vai permitir que a consumidora veja todos os detalhes da peça e até dita o clima da loja de roupas — mais solar, moderno, elegante ou aconchegante, por exemplo.

É importante lembrar que luz baixa e loja escura não são a mesma coisa. Muitas lojas de roupas têm uma luz mais baixa, mas a iluminação pontual permite visualizar tudo sem problemas.

Da mesma forma que a música e o cheiro, a luz faz parte do marketing sensorial. Portanto, você pode investir em uma iluminação mais estratégia, que valorize a beleza da nova coleção ou da gôndola de promoções.

2. Organização dos móveis

Se você tem um bom espaço no seu PDV, o uso de móveis ajuda a não vender apenas roupas, mas um estilo de vida. Um bom mobiliário pode vender elegância, sofisticação, modernidade, sucesso ou conforto — depende de todo o conceito por trás das peças que você vende.

O importante é que a mobília não atrapalhe a circulação dentro do espaço. Ela não pode estar posicionada em locais que atrapalhem a cliente de andar de um lado para outro. 

Além disso, mude o layout do local periodicamente. Para quem passar em frente, isso dará a impressão de que há sempre novidades na sua loja de roupas.

3. Controle de estoque

O estoque é um dos pilares da gestão de PDV e, por isso, precisa de atenção especial. O controle sobre o que entra e o que sai é fundamental para a sobrevivência da loja. Ter um sistema de gestão vai fazer toda a diferença para organizá-lo e saber quais mercadorias devem ser repostas.

Outras dicas fundamentais:

4. Exposição do preço

O preço precisa estar muito visível tanto na vitrine quanto nas peças em cabides em gôndolas. Isso significa que o consumidor não deve ser obrigado a entrar na loja para saber o preço de uma peça de exposição externa.

Se houver condições para desconto (por exemplo, 20% à vista ou no débito), elas precisam estar bem especificadas. O Código de Defesa do Consumidor tem regras rígidas que as lojas precisam seguir.

Se você não quiser colocar etiquetas com os preços nas peças internas, disponha um aparelho para leitura de código de barras. Assim, o cliente pode fazer a consulta sem ter que perguntar a um vendedor sempre que tiver dúvidas.

Outro fator importante é a forma de exposição. Dificilmente você vai encontrar, em lojas mais refinadas, cartazes imensos sobre descontos ou peças com valores muito baixos. Em muitos casos, é o próprio vendedor que informa sobre peças com desconto em uma gôndola. Etiquetas visíveis mas discretas são eficientes nesse caso. 

5. Organização linear

Sua loja de roupas não precisa ser imensa para despertar a atenção da consumidora. No entanto, saber trabalhar com o espaço que tem é fundamental para manter o ambiente organizado.

O segredo de um bom PDV é a harmonia dos elementos. Não adianta enchê-lo de peças jogadas — além da aparente falta de organização, dá a impressão de que são ponta de estoque. Um ponto muito cheio atrapalha a circulação e o equilíbrio visual, atrapalhando a escolha da cliente. Enfim, não há nada de positivo.

Ao mesmo tempo, um PDV com espaço demais faz com que a cliente pense que a sua loja de roupas está vazia, com peças em falta.  Estoque vazio traz a percepção de falta de novidades. 

Então, o que fazer? Coloque peças suficientes para encher o PDV, mas sem lotá-lo. Elas precisam estar organizadas e fáceis de visualizar. Quanto mais simples for a visualização, menos bagunça a cliente fará para ver todas as roupas, e mais organizada a sua loja continuará no final do expediente. 

6. Atendimento exemplar

Como dito, o atendimento é fundamental em um PDV. E isso se dá desde a chegada até a saída da loja, passando também pelos canais de atendimento, como as redes sociais, o telefone e o WhatsApp. 

É preciso se lembrar de que atender bem não significa ficar colado na cliente. Muitas consumidoras não voltam a um PDV porque se sentem incomodadas com vendedores em volta, de olho para não perder a venda. O colaborador precisa se mostrar disposto a atendê-la, mas dar plena liberdade para que possa visualizar todos os produtos.

Um bom atendimento fideliza a cliente e faz com que ela vire promotora de sua loja de roupas, indicando-a para amigas e familiares.

Viu como é possível organizar o PDV na loja de roupas? Para mais dicas sobre gestão e marketing loja de roupas, siga as redes sociais da Alterdata!

Sair da versão mobile