Como preparar sua imobiliária para as mudanças constantes do índice IGP-M?

O índice IGP-M é um dos principais indicadores para a definição de preços no mercado. No setor imobiliário, que apresenta muita variação de demanda devido às incertezas do público e até ao período do ano, acompanhar de perto o IGP-M para se adaptar a ele acaba se transformando em uma enorme vantagem competitiva.

Mas como fazer isso? Neste post, vamos responder a suas principais dúvidas sobre o IGP-M: o que é, como funciona e como você pode usar sua variação a seu favor. Vamos começar?

Como funciona o índice IGP-M?

O Índice Geral de Preços do Mercado (o famoso IGP-M) é um indicador criado na década de 1940 para acompanhar de forma abrangente a variação de preços em diversos setores. A ideia é que ele funcione como um termômetro macroeconômico, dando a todas empresas produtoras e prestadoras de serviço uma visão justa, real e padronizada sobre a prática de preços no mercado.

O IGP-M foi adotado especialmente para a correção de valores contratuais e de produto. É uma referência para que toda a economia se autorregule, diminuindo o espaço para competição injusta e incoerência de preço entre setores.

Como ele é calculado?

O IGP-M é tão abrangente porque funciona como uma média de outros 3 índices importantes para o acompanhamento do mercado, que são:

  1. o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA);
  2. o Índice de Preços ao Consumidor (IPC);
  3. o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

Os 3 têm pesos diferentes nesse cálculo: 60% para o IPA, 30% para o IPC e 10% para o INCC. Unindo em um único indicador os gastos de produção, o custo de construção e o preço final de um produto ou serviço, é possível ter uma visão bem fiel de movimentações de mercado e tendências tanto para inflação quanto para deflação.

Como é feita a notificação de variação?

O IGP-M é calculado mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas. Ao final de cada ciclo de 30 dias, a resposta é disponibilizada ao público em forma de resultado real e variação em relação aos meses anteriores.

Além disso, também é feito um relatório anual para a definição de reajustes mais longos, principalmente para contratos que têm esse período de vencimento. Esse indicador é chamado de IGP-M acumulado.

Como o IGP-M influencia a vida do corretor?

Como dissemos, esse índice é o mais utilizado para reajustes de preços no Brasil. E isso é especialmente verdade quando falamos em valores de contratos imobiliários.

O corretor que trabalha com venda e aluguel precisa ter uma visão bem abrangente do IGP-M. Estamos falando aqui tanto do valor mensal, que vai influenciar o preço de venda, quanto do acumulado, para o reajuste de aluguéis.

Junto a outros sinais de mercado, o acompanhamento desse indicador não só proporciona uma visão do preço praticado hoje, mas também uma tendência de variação para o futuro.

Em um setor tão concorrido, dominar o IGP-M pode permitir que o profissional se antecipe, vendendo antes de uma queda brusca de preços. Da mesma forma, o corretor pode entender que é melhor esperar um pouco mais para a demanda escalar. Assim, os investimentos são otimizados e a margem de lucro aumenta.

Como controlar a variação do IGP-M?

Se você precisa facilitar o controle da variação desse índice para consolidar a empresa, prepare-se para a boa notícia: é sim mais que possível usar o índice como um aliado e não um portador de más notícias. Veja algumas atitudes que você pode tomar com esse objetivo!

Melhore a gestão de contratos

Como o IGP-M governa os valores de contratos no Brasil, ter uma gestão mais eficiente do seu relacionamento com os clientes pode dar mais espaço para buscar as melhores oportunidades.

Uma dica interessante é automatizar o gerenciamento desses contratos, com informações integradas e notificações periódicas sobre o prazo de reajuste de cada um. Com isso, você consegue se antecipar a novas rodadas de negociação, planejando o melhor preço e o melhor momento para agir. Nada de deixar tudo para a última hora!

Aposte no poder da previsibilidade

Se o índice varia todo mês, como se antecipar em uma negociação que vai acontecer no próximo trimestre ou semestre? A verdade é que, por mais volátil que o mercado seja, sinais e tendências estão sempre visíveis para o gestor atento.

Para ter previsibilidade, é importante investir na coleta e no armazenamento de informações. Cruzar dados sobre variações passadas e sua relação com o que está acontecendo no cenário macroeconômico é uma forma de estimar o valor do indicador com meses de antecedência.

Inclua inteligência na sua gestão

Todo esse processo de uso de dados para embasar as tomadas de decisão significa incluir inteligência na gestão do negócio. Ferramentas para analisar, segmentar e comparar informações econômicas dão uma visão muito mais abrangente sobre seu posicionamento no mercado do que quando esse trabalho é feito por planilhas.

A inteligência de negócio permite que decisões sejam tomadas com mais rapidez e precisão, diminuindo os riscos para o futuro. Pode acreditar: essa é uma vantagem enorme sobre uma concorrência que ainda está demorando para se adaptar aos novos tempos.

Invista em tecnologia

Como fazer tudo isso de maneira simples e rápida? A resposta está sempre na tecnologia! Softwares especializados e sistemas ERP automatizam a coleta e o armazenamento de informações, além de conseguirem estruturar o negócio de forma que o gestor tenha mais tempo para planejar estratégias e direcionar a empresa no rumo certo.

O segredo está em buscar parcerias que ofereçam esse tipo de serviço, principalmente aquelas que têm expertise no setor imobiliário. Com esse investimento, você ganha inteligência de negócio e previsibilidade para variações econômicas, além de simplificar a gestão de contratos.

O índice IGP-M não deve ser tratado como um problema, mas como um poderoso aliado em prol da otimização dos seus lucros. Quem acompanha o indicador de perto e sabe se antecipar a ele está sempre pronto para o futuro, sempre um passo à frente dos concorrentes.

Você quer melhorar ainda mais a previsibilidade e a negociação de reajustes em contratos? O IGP-M não é o único valor que você pode usar como ferramenta, viu? Veja neste post quais são os 5 indicadores financeiros que sua imobiliária deve acompanhar!

Related Posts

Veja estas 6 dicas para reduzir custos no restaurante

5 fatos sobre o mercado imobiliário que todo corretor...

Captação de clientes: 6 dicas para corretores...

Deixe uma resposta