5 indicadores financeiros que a sua imobiliária deve acompanhar

O sucesso de todo negócio está na capacidade dos responsáveis para entender os posicionamentos que a economia pede em determinados momentos. E a melhor forma de fazer isso é ficar de olho nos indicadores financeiros, que ajudam a tomar decisões estratégicas mais acertadas.

Por isso, confira os melhores indicadores para ajudar na administração do financeiro da sua imobiliária. Acompanhe o post!

CUB

O Custo Unitário Básico é um indicador da construção civil que ajuda a atualizar os índices de contratos deste setor. Ele é muito bom para obras novas, pois dá uma estimativa do gasto para construir por metro quadrado em um determinado estado. Ele é calculado por uma instituição e tem a porcentagem de correção estimada definida com antecedência. Por isso, é muito utilizado para contratos de venda que serão realizadas antes da construção do imóvel.

Para aplicá-lo, basta multiplicar a metragem do prédio pela estimativa do CUB e adicionar a taxa de correção de acordo com o tempo correspondente de contrato.

IGP-M

Essa sigla significa Índice Geral de Preços de Mercado e é uma taxa de juros calculada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) para medir a correção dos títulos do tesouro nacional. Porém, ele também é utilizado para corrigir contratos de locação de imóveis, e isso se tornou seu uso mais comum.

Por ser uma taxa de juros, para calculá-lo, basta aplicar a porcentagem relativa no valor de base do aluguel para chegar ao número atualizado.

EBTIDA

A sigla vem do inglês e significa “lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização”. Ele também é conhecido como lucro operacional e costuma aparecer na DRE (Demonstração de resultado de exercício) das empresas imobiliárias. Basicamente, ele é calculado subtraindo-se da receita bruta as deduções de impostos sobre o produto (Pis, Cofins etc.), os custos do mesmo e as despesas operacionais da produção.

É importante relembrar que o EBTIDA não inclui as deduções do imposto de renda, financiamentos e outras operações que não envolvam o caixa. Por isso, ele deve der usado como indicador sobre a possibilidade de gerar lucro que a empresa tem.

Já a margem com esse nome é o valor do EBTIDA dividido pela receita líquida. Não existe um valor de comparação, mas quanto maior for esse número, menor a representatividade dos custos na sua imobiliária e maior sua capacidade de lucrar.

NOI

O NOI é um índice bastante parecido com o EBTIDA. No mundo imobiliário, essa taxa é muito usada para definir se um imóvel comercial dá lucro ou não. Para calculá-la, o investidor soma a receita do aluguel e subtrai os gastos necessários para que ela funcione. Assim, é possível saber se esse imóvel dá lucro ou não.

Assim como o EBTIDA, o NOI também tem uma margem própria, que é obtida ao dividir o número pela receita líquida. Quando a margem resulta mais que 50%, o imóvel é lucrativo. Quanto maior o número, melhor investimento ele se torna.

CAP RATE

A taxa de capitalização é útil em uma imobiliária para saber se é um bom investimento alugar um imóvel. Normalmente, ela é calculada fazendo uma divisão simples entre o valor do aluguel de mercado e o de venda para uma determinada propriedade.

Além dela, também existe a CAP RATE NOI, que utiliza o valor do NOI em vez do aluguel, garantindo uma taxa muito mais acurada sobre a rentabilidade do aluguel.

Esses são apenas alguns dos indicadores financeiros que podem ajudar a sua empresa do setor imobiliário a ser mais lucrativa e até mesmo a oferecer mais rentabilidade aos seus clientes, atraindo mais negócios.

Tem alguma dúvida ou mais sugestões de indicadores que devem ser acompanhados? Deixe nos comentários!

Related Posts

[INFOGRÁFICO] Afinal, qual a diferença entre NF-e e...

Por que você precisa otimizar sua rotina imobiliária...

Como evitar gastos desnecessários no setor de compras?

Deixe uma resposta